Ministério da Saúde reativa comissão sobre Aids desativada
Teste de HIV – Foto: Arquivo/Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por Folha de Pernambuco

Ministério da Saúde anunciou nesta quinta-feira (4) a reinstalação da Comissão Nacional de HIV, AidsTuberculose, Hepatites Virais e ISTs (Cnaids)desativada pelo governo de Jair Bolsonaro em 2019.

A Comissão é voltada para o fortalecimento de políticas públicas de combate a estas doenças. Segundo a ministra da Saúde, Nísia Trindade, a extinção da Cnaids durante o governo Bolsonaro acarretou em atraso nas ações sobre o tema.

“Há cinco anos essa comissão estava desativada, o que representou atraso nas pesquisas e nas ações de prevenção a essas doenças que podem atingir toda a população” disse a ministra da Saúde em vídeo publicado nas redes sociais.

Veja também:   Professora da UAST apresenta projeto no Ministério da Saúde

Receba as manchetes do Farol de Notícias em primeira mão pelo WhatsApp (clique aqui)

Com a reativação, a comissão já volta a se reunir nesta quinta-feira. Criada em 1986, a Cnaids tem 35 representantes da sociedade civil em seu colegiado, incluindo gestão federal, redes e movimentos sociais, fundações, associações, conselhos e organismos internacionais.

“Reativar a CNAIDS é um passo essencial na busca por uma sociedade saudável e igualitária, onde todos tenham acesso aos cuidados de saúde necessários para viver com dignidade” comemorou a ministra.

Veja também:   Ministério da Saúde divulga como será realizado o pagamento do piso dos enfermeiros

A retomada dos trabalhos da comissão faz parte do programa “Brasil Saudável”, do Ministério da Saúde, que vem retomando políticas públicas que foram desativadas nos últimos anos.

Os principais fatos de Serra Talhada e região no Farol de Notícias pelo Instagram (clique aqui)

O encerramento das atividades do colegiado se deu por meio de decreto presidencial do presidente Jair Bolsonaro em 2019. A decisão foi contestada por ativistas e Organizações da sociedade civil na época.

Entre as suas contribuições, a comissão foi responsável por emitir recomendações técnicas que embasaram decisões governamentais como a de quebra de patentes de anti retrovirais, proibição de testes de HIV para prestação de concursos públicos e ingresso na carreira militar, e a criação de uma comissão específica de estudos e de avaliação para o desenvolvimento de uma vacina para o HIV.

Veja também:   Mortalidade por Aids tem queda nos últimos dez anos