No Dia Nacional de Paralisação contra a Reforma da Previdência, centenas de pessoas protestam no Recife. Tendo a Praça do Derby como ponto central, manifestantes saíram de bairros como Santa Amaro e Jardim São Paulo, no Recife, além de Prazeres, em Jaboatão.

Os bloqueios começaram às 6h na BR-101 Sul e seguiram por toda a manhã em vários pontos do Recife, como as avenidas Agamenon Magalhães e Conde da Boa Vista, além da Rua da Soledade.

Por volta das 10h40, os manifestantes saíram da Praça do Derby, bloqueando o cruzamento com a rua Gonçalves Maia, em direção a Avenida Conde da Boa Vista. No caminho, o grupo que protestava na Praça Oswaldo Cruz se reuniu a eles para caminharem juntos pela Conde da Boa Vista.

A expectativa da organização do protesto é de que, quando os grupos de encontrarem, cerca de cinco mil pessoas se unam na manifestação. A Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) orienta que os motoristas evitem o Centro do Recife.

A Frente Povo Sem Medo, junto com o Movimento de Luta em Bairros Vilas e Favelas (MLB), Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e Olga Benário estão entre os participantes. O representante do MLB, Kleber Santos, afirma que a família brasileira, hoje, não é quem pesa na previdência e prejudica do país. Eles apoiam a auditoria da dívida publica, a qual é responsável de 45% do orçamento.

O Sindicato dos Trabalhadores Públicos Federais em Saúde e Previdência Social no Estado de Pernambuco (Sindisprev), grupos de professores e bancários afirmam que aprovam a adesão das categorias na greve nacional.

Da Folha de PE