MP pede ao TCU bloqueio de bens de Bolsonaro, Ibaneis e Torres

Da Folha de PE

Os bens do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), do governador afastado do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), e do ex-secretário de Segurança Pública do DF Anderson Torres podem ser bloqueados. O Ministério Público (MP) junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) pediu que a Corte bloqueie os bens dos três. A informação é da Carta Capital.

O pedido de bloqueio de bens, assinado pelo subprocurador-geral Lucas Rocha Furtado e enviado ao presidente do TCU, Bruno Dantas, é justificado pelos atos terroristas, no último domingo, em Brasília, promovidos por apoiadores do ex-presidente.

Veja também:   Eletricista leva grave choque e roupa pega fogo em poste

“Em razão de processo de Tomada de Contas e do vandalismo ocorrido no Distrito Federal no dia 8 de janeiro de 2023, que provocou inúmeros prejuízos ao erário federal, solicito que seja decretada a indisponibilidade de bens”, justificou Furtado.

No mesmo documento, o subprocurador ainda solicita a “indisponibilidade de bens de outros responsáveis, sobretudo de financiadores de mencionados atos ilegais”.

Segundo um relatório preliminar divulgado da Câmara, os danos provocados no prédio já ultrapassam R$ 3 milhões. O valor engloba objetos e equipamentos que podem ser repostos, como computadores, vidros, veículos e outros itens de mobiliário.

Veja também:   Após ser vítima de injúria racial, Ludmilla perde processo e vai recorrer

O TCU abriu uma investigação preliminar para identificar os responsáveis por financiar, idealizar e executar os atos golpistas na capital federal. O inquérito está sob a relatoria do ministro Vital do Rêgo e tem Ibaneis Rocha e Andreson Torres como principais alvos.