Da Revista Forum

Na denúncia apresentada ao Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio na quarta-feira (5) referente ao caso das rachadinhas da Alerj, o Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) pediu, entre outras coisas, a perda do mandato do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro.

Segundo informações do jornalista Arthur Guimarães, da TV Globo, o MP-RJ pediu que Flávio perdesse o cargo caso seja condenado, com trânsito em julgado, por suposto envolvimento no caso. Flávio foi denunciado por peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

O senador seria o líder do esquema de corrupção conhecido como “rachadinhas” montado em seu gabinete na época em que era deputado estadual. Segundo o MP, esquema, que seria conduzido pelo ex-assessor Fabrício Queiroz, consistia na apropriação dos salários de assessores, pagos com dinheiro público, e lavagem desses recursos através de uma organização criminosa.

As investigações do MP apontam que os ex-funcionários do então deputado estadual depositaram ao longo dos 11 anos em que ele esteve na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro R$ 2,06 milhões na conta bancária de Queiroz, sendo a maior parte em dinheiro vivo. Além disso, a suposta organização criminosa apontada na denúncia teria sacado R$ 2,9 milhões em espécie ao longo desse período.