Da ISTOÉ

A companheira do fugitivo Lázaro Barbosa Sousa, de 32 anos, relatou ter sido ameaçada por policiais, em entrevista ao “Domingo Espetacular”, da Record TV. De acordo com a mulher, os agentes chegaram a agredi-la fisicamente para tentar obter informações sobre o possível esconderijo de serial killler, que matou uma família em Ceilândia (DF).

“O policial deu três, quatro tapas no meu rosto. Ele quebrou o rodo da minha tia e ia me bater com o cabo. Eu pensei comigo: Senhor, eu não acho justo eu apanhar com esse cabo de vassoura. O Senhor sabe que eu não sei onde ele está”, afirmou a companheira de Lázaro Barbosa em entrevista ao jornalista Roberto Cabrini.

Ainda conforme a mulher, um policial também ameaçou afogá-la se ela não desse informações sobre a localização de Lázaro. “Isso é um abuso, eles não podem bater na gente assim”, disse.

Em nota ao “Domingo Espetacular”, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de Goiás informou que a polícia age de acordo com protocolos, e que as denúncias serão apuradas. Além da políacia, a mulher de Lázaro relatou ter recebido ameaças de civis.

“Hoje mesmo uma mulher me falou para eu não ficar andando na rua, porque tem muita gente comentando: por que não mata a mulher dele? Corta o pescoço dela para ver se atinge ele, se ele se entrega”, contou a companheira de Lázaro.

Há 13 dias, mais de 200 policiais participam das buscas pelo serial killer. As ações são comandadas pela Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO), com a ajuda de equipes do DF e das Polícias Federal e Rodoviária Federal.

Lázaro já possui uma condenação por homicídio, na Bahia, e é também procurado no DF e em Goiás por crimes de roubo, estupro e porte ilegal de arma de fogo. Ele foi preso em 2009, mas conseguiu fugir do Complexo Penitenciário da Papuda, no Distrito Federal, em 2016. À época, não retornou da saída temporária de Páscoa. Em 2018, ele foi detido novamente, desta vez em Águas Lindas de Goiás, mas escapou da prisão poucos meses depois.

O homem que a polícia persegue é acusado de matar, a tiros e facadas, três pessoas na zona rural de Ceilândia, no último dia 9. Os mortos eram Cláudio Vidal de Oliveira, de 48 anos, e os filhos Gustavo Marques Vidal, de 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, de 15. O foragido também é apontado como responsável pelo sequestro da mulher de Cláudio, Cleonice Marques de Andrade, de 43 anos. O corpo dela foi encontrado no dia 12 à beira de um córrego.

Lázaro também é investigado como suspeito da morte de um caseiro de uma fazenda no distrito de Girassol, em Cocalzinho de Goiás, no último dia 5. Durante a fuga dos últimos dias, Lázaro invadiu chácaras, furtou um carro e o abandonou na BR-070, fez uma família refém e trocou tiros com a polícia.