Mulher que produziu veneno de mamona é condenada a 22 anos

Do G1

A Justiça dos Estados Unidos condenou nesta quinta-feira (17) uma mulher a quase 22 anos de prisão por enviar, em 2020, uma carta contendo ricina letal ao então presidente Donald Trump.

A mulher é a franco-canadense Pascale Ferrier, de 56 anos. Ela se declarou culpada em janeiro por “violações das leis sobre armas biológicas”.

Ao fim da sentença, ela vai ser deportada dos EUA.

No mesmo mês, ela enviou uma carta contendo a substância do Canadá para a Casa Branca, então ocupada por Trump, além de outras cartas com o veneno destinadas a oito agentes da lei no estado do Texas.

A carta para Trump foi escrita em linguagem ameaçadora e pedia ao presidente que desistisse de disputar as próximas eleições, segundo o Departamento de Justiça.

Após enviar as cartas, Ferrier tentou entrar nos EUA através de um posto fronteiriço em Buffalo, no estado de Nova York, em 20 de setembro de 2020.

No local, foi presa por posse de arma carregada e diversas munições, segundo o Departamento de Justiça.