Duas mulheres sauditas foram nomeadas para ficar à frente de importantes instituições financeiras na Arábia Saudita, entre elas a Bolsa saudita – primeiro mercado financeiro árabe -, apesar das restrições impostas às mulheres neste ultraconservador país do Oriente Médio, que vive sob um sistema islâmico rígido.

O Samba Financial Group anunciou no domingo (19) a chegada de Rania Mahmoud Nashar ao cargo de presidente executiva desse banco.

A Arábia Saudita é o único país do mundo que proíbe que as mulheres dirijam, e, teoricamente, devem ter a permissão de um familiar –pai, marido ou irmão– para exercer uma atividade profissional, estudar ou viajar para o exterior.

A nova presidente do Samba Financial Group assumiu o cargo três dias após a nomeação à frente do Conselho de administração da bolsa saudita – conhecida como Tadawul – de outra mulher, Sarah al-Suhaimi, que, por sua vez, mantém também o cargo de presidente do NCB Capital, setor de investimentos do National Commercial Bank.

Em 2014, Sarah foi a primeira mulher saudita a ser nomeada à frente desse banco de investimentos, de acordo com a agência Bloomberg News.

Como parte da reforma social e econômica que está tentando colocar em prática para lidar com a possível falência da receita petrolífera, a Arábia Saudita está incentivando o trabalho feminino.

Do NE10