Do g1

Foto: Divulgação/ Tiago Chediak

Os sons de ataques aéreos, sirenes, explosões, gritos e choro de crianças, que há um mês transformaram a rotina dos ucranianos, estão registrados num hino, uma espécie de melodia da resistência. Em dois minutos e 25 segundos, “The Anthem of True Russia” transporta o ouvinte para a realidade da guerra de Putin e causa desconforto.

Produzido pelo músico brasileiro Roger Leão, a partir dos áudios registrados por uma agência publicitária de Kiev, o hino foi postado há 9 dias nas plataformas musicais. Teve 120 mil visualizações no YouTube e 100 mil plays no Spotify – audiência espalhada por Europa, Ucrânia e até a Rússia, que vem surpreendendo Leão, radicado há sete anos em Nova York, indicado ao Multi-Grammy e premiado pela MTV.

“Nós queríamos causar empatia, que as pessoas ouvissem e lembrassem da guerra, que não pode ser, de forma alguma, normalizada. Todo play é importante. E o secundário são as doações que as plataformas geram em benefício dos ucranianos”, explica o produtor, que já trabalhou com Anitta e Jairzinho Oliveira, entre outros músicos.

Assim que a Ucrânia foi atacada pela Rússia, ele se mobilizou, também por influência do marido, o brasileiro Yuri Kislanov, que tem ascendência russo-ucraniana. Cinco dias após a invasão, Leão já estava em contato com agências de publicidade da Ucrânia para se oferecer como produtor musical.

A Angry Agency apresentou a proposta e mandou os áudios originais da guerra, que Leão transformou em música, com a ajuda do designer de som Julius Brito.

A comunicação fluía por e-mail e a um certo momento foi interrompida. Por seis dias, Leão não teve notícias de seus interlocutores em Kiev, que enfrentavam um apagão na internet. “Eu me dei conta de que eles poderiam estar sofrendo as consequências da guerra, fugindo ou até mortos. Foram dias extremamente angustiantes.”

Veja também:   PT monta 'time' para derrotar Jair Bolsonaro em Serra Talhada e região

Habituado à agilidade da publicidade, Leão demorou mais do que o normal para produzir a música. Ele conta que a riqueza de detalhes dos áudios, que incluem bombardeios e gritos de crianças, o levou à exaustão emocional.

“Esses não são os sons da Ucrânia, são os sons do agressor. Isso é como a Rússia, que invadiu a Ucrânia, soa”, resume o vídeo que apresenta o hino, disponibilizado no YouTube. É impossível não se incomodar, ainda que longe do palco da guerra.