radiola

Se nos anos 1990 o manguebeat deu certo espaço para a música eletrônica como ingrediente no caldeirão de ritmos e influências do movimento, hoje o eletrônico passa por uma fase de maior protagonismo na cena local. Mais do que acessório, é o foco do trabalho autoral de uma nova safra de DJs e bandas. A entrada no gênero começou de maneira bastante artesanal, até pelas restrições tecnológicas da época.

Essa combinação com elementos regionais é justamente o mote do trabalho da Radiola Serra Alta, dupla de Triunfo que mescla a sonoridade da música popular nordestina com o eletrônico e também outras vertentes, como rock e rap. A inspiração no regional está até na caracterização dos músicos, que usam os pseudônimos Veinha e Careta e escondem a identidade vestindo máscaras de caboclos.

Veja também:   AGORA VAI? Marcos Oliveira reacende debate em torno do recesso na Câmara de Vereadores

Prova do potencial alcance dessa fusão de ritmos está na participação do Radiola Serra Alta no Glastonbury, em junho passado, na Inglaterra, considerado o maior festival de música do mundo.

Leia mais no Diario de Pernambuco