'Na bronca' por médico, população cobra da gestão Márcia
Imagem ilustrativa

Um leitor residente no bairro Alto da Conceição, em Serra Talhada, buscou a redação do Farol, na manhã desta quinta-feira (14) para reclamara do atendimento médico da Unidade Básica de Saúde da localidade.

Segundo o morador, as consultas à domicilio não estão sendo realizadas e os idosos, que são público, alvo são levados para o Hospital Regional Professor Agamenon Magalhães para que realizem os procedimentos médicos de responsabilidade dos profissionais do Posto de saúde do bairro.

“Até para fazer fisioterapia. Eles falam que vão, mas nunca vão. Toda vez vamos atrás. Levamos [os idosos e acamados] para o hospital. Eles vão encolhidos, se machucam dentro do carro. Mas não temos o que fazer. A gente conta com o serviço deles, mas eles não fazem o serviço. Eles estão que nem vereador: só promete e nunca cumpre”, contou o morador.

Veja também:   Luciano Duque: 'Não voltarei em corpo, voltarei em espírito'

A equipe de reportagem do Farol entrou em contato com a Secretaria de Saúde para entender o caso. A assessoria da pasta afirmou que os atendimentos estão seguindo o processo normal. Confira.

Outro lado

“Venho por meio deste esclarecer que a Unidade do Alto da Conceição realiza suas visitas semanais com seus agentes comunitários de saúde a seus acamados ou domiciliados. Em caso de necessidade sempre encaixamos nos atendimentos ou nos dirigimos até o domicílio quando temos ciência do caso.

Todos os pacientes e cuidadores são orientados a procurar a unidade quando necessário ou solicitar via ACS a visita da equipe. Pois temos um território com quase 4 mil pessoas para dar assistência. O que está dentro das possibilidades da equipe estamos sempre à disposição.

Veja também:   Luciano Duque faz alerta sobre propaganda de Márcia Conrado

Com relação a sonda; todos os cuidadores dos pacientes que fazem uso são orientados que realizamos a troca no domicílio, caso alguém esteja indo até o Hospam, é de livre e espontânea vontade. Mas é orientado que realizemos a troca na data ou em caso de necessidade, e nunca foi negado esse tipo de assistência.”