Camara MunicipalUma comissão formada por quatro vereadores foi criada para cobrar do governo do Estado a instalação de um posto do Instituto Médico Legal (IML) em Serra Talhada. A decisão foi anunciada durante a sessão ordinária dessa segunda-feira (13) pelo presidente da Casa Legislativa, Agenor de Melo Lima (PTB). Segundo o presidente, o objetivo é cobrar diretamente do secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho. “Assim que marcarmos a data da reunião informaremos a sociedade”, disse o presidente.

Quem puxou o debate na Câmara foi o vereador Dedinha Inácio (PMDB), que indignado, cobrou respostas sobre o equipamento. “Precisamos voltar a lutar pela conquista de um IML. Os deputados até agora não deram respostas de nada. O IML é uma necessidade para Serra Talhada e nada foi feito até agora”, disparou Dedinha, recebendo apoio de outros parlamentares.

Veja também:   MISS GAY: Serra Talhada elegerá representante da beleza LGBT neste sábado

“Além do IML precisamos de um novo cemitério. Mas o IML não chegou ainda em Serra Talhada por um questão política. Não vejo interesse do governo do Estado. Não adianta jogar a culpa nos deputados”, rebateu o vereador Francisco Pinheiro (PTB) que também cobrou respostas sobre a obra inacabada da sede do Corpo de Bombeiros.

Já o vereador Nailson Gomes relembrou que, no seminário Todos por Pernambuco, em Afogados da Ingazeira, os vereadores levaram este assunto para o debate, mas não viu muita receptividade por parte do governo. “Está claro que falta vontade política. Será que Serra Talhada está bem representada?”, questionou Gomes.

Veja também:   Vítimas da Covid serão homenageadas em ST

FIQUE POR DENTRO

Em junho de 2013 uma comissão formada pelos vereadores Nailson Gomes (PSC), Sinézio Rodrigues (PT), Pinheiro (PTB) e Márcio Oliveira (PTN), além dos deputados estaduais petistas Odacy Amorim e Manoel Santos, reuniram-se com secretário de Defesa Social, em Recife, Wilson Damázio, para cobrar a instalação de um Instituto Médico Legal (IML) em Serra Talhada. Não houve avanços após a reunião.

O debate em torno do IML surgiu após o assassinato do protético Paulo Marcos de Lima, em abril de 2013. O corpo do protético ficou exposto por cerca de 10 horas à espera de um equipe de legistas da cidade de Caruaru. Mesmo assim, a ausência do IML foi motivo de piada para o secretário estadual de Saúde, Antonio Figueira, durante audiência pública realizada em Serra Talhada. “Até para a pessoa se suicidar em Serra Talhada tem que esperar que venha um carro de Caruaru”, ironizou.

Veja também:   Serra Talhada vai ganhar estátua de Lampião