Da CNN

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou, nesta quinta-feira (13), que a Pfizer fez três ofertas de venda da vacina contra a Covid-19 ao governo brasileiro em agosto de 2020. Bolsonaro disse que “não tinha garantia jurídica” para adquirir o imunizante na época.

“Não tínhamos garantia jurídica, tinha que passar pela Anvisa, é uma irresponsabilidade minha, seria da Anvisa, mas ela jamais cometeria um erro desse, simplesmente aceitar a importação de uma vacina que tava em teste ainda”, disse o presidente nesta quinta, horas após o depoimento do gerente-geral da Pfizer na América Latina, Carlos Murillo, à CPI da Pandemia.

Além da instabilidade jurídica, Bolsonaro afirmou que ainda não havia aprovação sanitária, já que a Pfizer não possuía aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para ser aplicada no Brasil. Carlos Murillo era presidente da Pfizer no Brasil em agosto de 2020.

“A primeira pessoa a ser vacinada no mundo foi em dezembro do ano passado, não podíamos assinar o contrato ano passado, porque tinha muita incerteza jurídica e a incerteza sanitária, fizemos a coisa certa, começou e praticamente terminou com o Pazuello, pega um pouquinho do Queiroga”, afirmou.

A Advocacia-Geral da União (AGU) entrou nesta quinta-feira com um habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF) para blindar o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello na CPI da Pandemia. O intuito é que Pazuello compareça, mas possa ficar em silêncio ao ser questionado.

Bolsonaro defendeu a atuação do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, nas negociações de compras de vacinas no ano passado.

“Ele [Carlos Murillo] falou que a proposta, essa que o pessoal falou tanto, era de 9 milhões no primeiro semestre e 61 milhões no segundo. Total de 70 milhões. E fechamos um contrato recentemente de um total de 100 milhões. Precisa falar mais alguma coisa ou vão continuar perturbando? Graças a quem? Graças ao trabalho do Pazuello no Ministério da Saúde”.

Durante transmissão ao vivo nas redes sociais nesta quinta-feira, Jair Bolsonaro reiterou que: “Fizemos a coisa certa. Pazuello acertou em tudo que fez ano passado. Tá tudo esclarecido”.