Do Folhape

Foto: Pixabay

A Internet pegou fogo nesta segunda-feira (4), após as redes sociais, Facebook, Instagram e o mensageiro WhatsApp ficarem fora do ar por quase 7 horas. Apesar de não haver uma explicação oficial para o problema, oriunda da empresa de Mark Zuckerberg, especialistas apontam que motivo que pode ter afetado o funcionamento das redes seriam falhas no DNS usado pela empresa.

Ao pé da sigla, DNS significa Domain Name System, ou Sistema de Nomes de Domínios. “Ele associa a palavra digitada no navegador ao endereço IP. Essa associação permite que você possa navegar. Quando esse serviço fica indisponível o site ou app vai ficar fora do ar”, explica o professor e analista de redes, Roberto Mendonça. “Se o DNS ficar fora do ar, você não consegue navegar”, diz o especialista.

Em outras palavras, se você digita o endereço do Portal FolhaPE, o sistema automaticamente traduz para o IP 104.21.48.71 (correspondente ao site da Folha de Pernambuco) e permitem o acesso. Porém, quando há uma falha nessa comunicação, o usuário não consegue acessar o destino, porque o servidor não o encontra. M

‘Sumiço’ do BGP também pode ser motivo da queda

O DNS está ligado também ao BGP (Border Gateway Protocol), um protocolo que funciona como um navegador de viagem digital, ou seja, que ajuda o servidor a traçar a melhor rota de tráfego de dados até chegar a um site ou aplicativo.

O que foi constatado pelos especialistas é que os caminhos digitais que levavam aos aplicativos de Mark Zuckerberg haviam desaparecido. “As rotas BGP do Facebook sumiram da Internet e essas rotas BGP elas anunciavam os servidores de DNS do Facebook”, conta Igor Macaubas, Diretor de Tecnologia da Globo. Com o ‘sumiço’ do BGP, o DNS perdeu as rotas que levavam aos sites da empresa.

“Apesar de serem serviços que funcionam separados, uma falha no BGP pode fazer com que o acesso ao DNS não consiga ser atingido”, diz Mendonça. Ele afirma que, mesmo com a queda, seria bastante improvável que os aplicativos sumissem com os dados de bilhões de pessoas. “Os dados da gente ficam num data center, que tem backup, em dezenas de locais, a gente não perderia nossos dados”, garante.

Por que demorou tanto tempo para voltar?

De acordo com Igor Macaubas a demora do retorno das redes sociais tem a ver com a falha do DNS e com o fato de que o serviço “grava” a informação de que algo pode não existir mais na web. “A infraestrutura da DNS é é fortemente ‘cacheada’. Você vai lá no servidor de DNS e pergunta pelo endereço do Facebook, ele guarda essa informação num cache e devolve o mesmo IP. Mas quando acontece de um servidor ficar fora do ar, desaparecer, você ‘cacheia’ a informação que ele sumiu. Essa informação fica gravada. Você digitava Facebook.com e o DNS dizia que ele não existia.

Apesar do susto, as redes sociais Facebook, Instagram e o mensageiro WhatsApp voltaram a funcionar no início da noite, mas a empresa de Mark Zuckerberg não deu mais detalhes sobre a falha.