Obama pede salvação da Terra antes de colonização de Marte
Ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama – Foto: Mads Claus Rasmussen / Ritzau Scanpix / AFP

Por Folha de Pernambuco

Antes de considerar uma hipotética colonização de Marte, a humanidade deve se ocupar em salvar o planeta Terra, afirmou, nesta quarta-feira (13), o ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama durante uma conferência sobre transição energética em Paris.

“Eu amo a exploração espacial e estou ansioso para ver-nos chegar a Marte e além”, explicou o ex-líder democrata diante de um público composto principalmente por profissionais de energias renováveis.

Os principais fatos de Serra Talhada e região no Farol pelo Instagram (clique aqui)

“Mas quando ouço algumas pessoas dizerem que o plano é colonizar Marte porque o ambiente na Terra pode se deteriorar e tornar-se inabitável… Mas o que estão dizendo?”, refletiu.

Veja também:   Jovem empresária ousa com loja no Shopping Serra Talhada

O ex-presidente afirmou que mesmo após uma guerra nuclear, “a Terra seria mais habitável do que Marte” ou que mesmo se não agirmos contra a mudança climática, o planeta “ainda terá oxigênio e, até onde sabemos, Marte não”.

Preservação do Planeta

“Eu preferiria que investíssemos na preservação do planeta aqui embaixo. A razão pela qual vamos para o espaço é pela descoberta, pelo conhecimento, não porque vamos criar uma situação melhor lá. Fomos feitos para este lugar e seria bom que o preservássemos”, continuou.

Veja também:   Sesc inicia obra de R$ 2,9 milhões em Triunfo

Ao longo de sua hora de conferência, o ex-chefe da Casa Branca evocou sua ação governamental pelo clima, a transição ecológica ou a preservação de espaços naturais.

Receba as manchetes do Farol em primeira mão pelo WhatsApp (clique aqui)

Por outro lado, ele se recusou a comentar o histórico de seu sucessor, que retirou os Estados Unidos do Acordo de Paris sobre o clima assinado por Obama em 2015. “Os fatos falam por si só”, disse.

Obama participou da reunião Powr Earth Summit, organizada por dois empresários de energias renováveis em Paris.

Veja também:   Bandidos arrombam escola estadual no Sertão