Do Folhape

 Foto: Prefeitura de Caxias do Sul/Fotos Públicas

Trinta e três casos de inflamações hepáticas graves em crianças e de causa desconhecida foram identificados em sete países das Américas, entre os mais de 400 registrados no mundo, informou nesta quarta-feira (18) a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

“Até 17 de maio de 2022, 33 casos prováveis de hepatite aguda de origem desconhecida foram notificados em crianças em sete países das Américas. Nenhum país relatou à Opas mortalidade ou a realização de transplantes em crianças por esta causa”, disse um porta-voz da organização.

“Por ‘caso provável’ queremos dizer um caso em que a infecção pelos vírus da hepatite A, B, C e E foi descartada e outras condições são atendidas”, explicou.

A Opas, escritório regional da Organização Mundial da Saúde (OMS), não especificou quais países americanos relataram casos dessa doença rara que afeta crianças pequenas.

Em 15 de maio, a OMS havia registrado de 429 casos prováveis dessa misteriosa hepatite infantil em 22 países, nove deles na Europa. Seis crianças morreram até agora com esta doença e 26 precisam de transplantes, apontou.

Em muitos casos relatados icterícia e sintomas gastrointestinais, incluindo dor abdominal, diarreia e vômito.

“Pode levar algum tempo antes que possamos estabelecer de fato os mecanismos de causa”, disse Enrique Pérez, chefe de Informações sobre Emergências de Saúde e Avaliação de Riscos da Opas, em um coletiva de imprensa na quarta-feira.

Pérez acrescentou que a Opas trabalha com os países na região “para centralizar seus esforços em investigar os casos” suspeitos, e propôs um formulário padronizado para orientar as investigações.

Veja também:   Gustavo Petro é eleito presidente da Colômbia