eugênio

Por Eugênio Marinho, empresário de Serra Talhada

Você ainda acredita em Papai Noel? Todos nós, por um bom período de nossas vidas acreditamos. Um dia, de alguma forma, nos chega a informação de que o Papai Noel é um personagem, uma fantasia, na verdade ficamos sabendo que o presente que ganhamos na noite de Natal foi comprado por alguém que nos ama, não por ele. Alguém, que muitas vezes fez um sacrifício enorme para poder nos presentear.

Assim, o que era uma verdade incondicional para nós, a única forma de explicar a realização de um desejo nosso, um pedido de Natal, por uma informação, deixa de existir e nos remete a uma nova percepção da realidade. Nós não éramos estúpidos, acreditávamos porque não tínhamos a informação. Em quantas coisas acreditamos por não termos informação? Talvez por isto a imprensa, expressão máxima da informação, seja perseguida e odiada pelos regimes populistas e ditatoriais e por todos aqueles que têm algo a esconder.

A grande maioria dos políticos brasileiros não têm a menor transparência com a gestão dos recursos públicos, embora todos digam o contrário. Escondem as informações que permitiriam a população julgá-los como gestores honestos e eficientes, ou não. Como no caso de Papai Noel, antes de termos informações, conhecemos deles apenas as ações teatrais de um personagem, nunca as do ator.

Da mesma forma que não adianta pedir a Papai Noel algo que quem verdadeiramente vai lhe presentear não tem condições financeiras de comprar, não adianta pensar que nenhum governo vai ser capaz de fazer mais do que a boa gestão da arrecadação de impostos permite. É preciso trabalhar, não depender das benesses políticas, construir a própria história e exigir que a justiça seja independente para punir, exemplarmente, todos que desviarem os recursos públicos, fonte de oportunidades que pode ajudar muitos brasileiros.

Veja também:   Entrega de 45 escrituras públicas em ST é marcada por emoção

A cada quatro anos alguns procuram um salvador da pátria, esta, é uma busca inútil, pois ele jamais será encontrado numa só pessoa, ele é algo intangível, formado por vários comportamentos individuais. Sim, o Brasil, Pernambuco e Serra Talhada precisam que todas as pessoas que ganham sua vida honestamente decidam, cada um com sua contribuição digna, salvar a pátria das garras dos oportunistas.

O retrato falado deste salvador terá: os olhos vedados de uma justiça equilibrada, mas, independente, imparcial e exemplar para todos. Com os cabelos grisalhos de quem já caminha há 515 anos e já aprendeu que Papai Noel é uma fantasia e que o melhor presente que podemos ganhar na política é a gestão eficiente e transparente dos limitados impostos arrecadados. Com o suor de uma vida de trabalho digno escorrendo pelo rosto e para que ninguém tenha dúvida sobre sua identidade, dois traços, um verde e outro amarelo, a dizer: acima de tudo, eu sou brasileiro. Quando ele passar na sua frente siga-o, imitando a conduta dele, ele é o único que pode nos levar a civilização.