Por Gilson Pereira, vereador de Serra Talhada

gilson pereiraParabéns deputado Augusto César pelo artigo em defesa dos salários dos policiais militares e civis, pois em nosso entendimento estes, na atualidade, são heróis que só fazem servir sem retorno financeiro salarial, com famílias, faculdades e escolas de filhos, a exemplo, mais dívidas somadas, tudo em razão da escassez de material humano para cobrir os postos.

Hoje em Pernambuco, como no Brasil, podemos considerá-los como máquinas humanas devido ao excesso de trabalho, com Delegados e Comandantes fazendo vez de Oswaldo de Andrade, tendo que realizar jogo matemático para tentar cobrir escalas de serviços, talvez apenas cobrindo com deficiência os postos principais. É certo que a droga está sendo banalizada a cada dia.

Como visto na sociedade, aparecendo diariamente tipos caseiros, tais como: o fabricado em laboratórios existentes até mesmo em casas de taipa, este fabricado com cal virgem, querosene e borra de cocaína, vendido a preço, viu Serra Talhada parecendo a rocinha.

Os chefes têm que tapar o buraco com gratificações que ajuda um pouco o policial, porém, o mata com volume de trabalho, com escalas abusivas e ilegais que ferem o princípio da dignidade, posto que saem do seu plantão normal e são obrigados a fazer reflorestar, poligonal, dentre outros, onde deles que não têm tempo se quer de passar em casa, olhar esposa e filhos, sendo obrigados em razão de ter que chegar a tempo no local a que foi novamente escalado.

Veja também:   Funcionárias denunciam presidente da Caixa de assédio

O governo faz de conta que o policial é um robots, que não tem filhos, esposa, família que necessitam de lazer e de convívio. Na realidade, o que falta é a valorização do policial com reciclagem, evolução cultural, intensivo a produzir muito mais, porém, como ser humano e não como animal. Ora, se paga mais de cem mil reais a um deputado, como dito na imprensa, com as verbas e demais consectários a espécie, apesar de ser um poder independente.

O que resolve mesmo é salário digno, trabalho condizente com as forças do ser humano, reciclagem de convívio com a sociedade, interação entre polícia e comunidade, respeito recíproco, evitar que o policial more e conviva no mesmo ambiente do infrator, serviço de inteligência diurno, educação e harmonia neste convívio.

Veja também:   CONFRONTO: Luciano Duque diz que professor ganha bem e que greve é atitude irresponsável

Em especial política pública de prevenção em escolas com orientações e demais. Matar não resolve nada. Prendam-no e deixem a justiça resolver na forma da lei. Policial não é carrasco. A justiça está aí. O povo tem que denunciar. Do contrário, iremos nos submeter a Omertá, código do silêncio, com as famílias sem direito a sentar numa calçada, inversão de valores.

O direito penal militar já existe, suas regras existem. Certamente, também têm seus fundamentos no Direito Castrense que tem sua base na ordem e disciplina para coibir a violência sem motivo do policial visto como truculento. O que falta é uma boa remuneração justa. Do contrário, com o excesso de trabalho dos policiais, estresse, conflitos em geral, absorvendo e acumulando problemas.

Certamente, não precisa ser futurólogo para saber que em pouco tempo se encontre policial nas ruas delirando pelo volume ilegal de trabalho a que estão submetidos, de forma abusiva por falta de uma política pública de humanização das categorias essenciais e principais a um pais: Polícia, Professor e Médico. O que existe no governo é o uso do capitalismo selvagem visando lucro, às vezes, como banco de reserva a corrupção para gastanças em época de campanha política, isto é válido para Municípios, Estados e União, tirando o suor e sangue destes profissionais de forma vergonhosa.

Veja também:   Kate Middleton aparece em vídeo sorridente ao lado do príncipe William

Hoje no país existe uma pandemia, generalização da corrupção onde, às vezes, o corrupto é tratado pelo povo menos esclarecido como herói, posto que tenha cimento, feira, pagamento de luz e água, de cem a mil reais por casa, certamente, fazendo o papel da bandidagem do colarinho branco, tudo de gravata, sem preocupação com a sociedade, em especial com os excluídos sociais, que são vítimas deles  e até sindicatos pelegos e associações de moradores de fachada que representam candidatos, vistos neste país.

Que a Petrobrás, mensalões do PT e PSDB, METRÔ DE SÃO PAULO, FAMÍLIA MALUF COM MAIS UM BILHÃO DESVIADO QUE OS DIGA, OS BILHÕES TIRADOS DO POVO PELOS BARÕES DA POLÍTICA. SAÚDE, EDUCAÇÃO E SEGURANÇA SENDO ASSALTADAS PELOS LADRÕES E LARÁPIOS DE PALETÓ E DENTES DE OURO. TUDO SE RESOLVE TIRANDO OS LADRÕES DE CIMA….