Publicado às 05h30 deste domingo (17)

A foto acima é do momento em que se comemorava em Serra Talhada a cura de uma criança que sofria de difteria, esse primeiro tratamento bem sucedido ocorreu na Casa de Saúde Clotilde Souto Maior. A imagem é da década de 1960 e foi postado no Facebook por Cibele, filha do já falecido Dr. Elias Nunes, que aparece na foto junto com o Dr. Luiz Leite. Infelizmente não se conhece os nomes da criança, da mãe, das enfermeiras e auxiliares que estão ao lado dos dois médicos serra-talhadenses.

Difteria é uma infecção causada pela bactéria Corynebacterium diphtheriae. Os sinais e sintomas variam entre ligeiros e graves. Geralmente começam-se a manifestar dois a cinco dias após a exposição à bactéria. Em muitos casos, os sintomas começam-se a manifestar de forma gradual, começando com inflamação da garganta e febre. Em casos graves, desenvolve-se na garganta uma membrana característica branca ou cinzenta. Esta membrana pode impedir a passagem de ar e está na origem de uma tosse característica.

O pescoço pode também encontrar-se inchado devido ao aumento de volume dos gânglios linfáticos. Existem também formas de difteria que afetam a pele, olhos ou órgãos genitais. Entre as possíveis complicações estão a miocardite, inflamação dos nervos, proteinúria e hemorragias resultantes da diminuição do número de plaquetas no sangue. A miocardite pode causar arritmias cardíacas e a inflamação dos nervos pode causar paralisia

Veja também:   Saiba o que funciona em Serra Talhada nesta sexta-feira (24)