caatinga

Por Paulo César Gomes, Professor e escritor serra-talhadense/ Fotos: Paulo César

Enfim a chuva chegou. Trazendo alegria e esperança para o povo sertanejo. Deixando no ar o gostoso aroma da terra molhada e um rastro de magia que se espalha pelas “brenhas” da nossa singular caatinga.

Nós, humildes sertanejos, que aprendemos desde cedo a conviver com as metamorfoses e períodos que a nossa vegetação produz, algo raro para outras regiões do país, que ainda têm na mente um estereótipo criado pela imprensa e pelos livros didáticos, que só expõe o Sertão com caatinga “acinzentada” e os leitos dos açudes rachados pela falta de chuva.

Veja também:   Inscrições abertas até 24 de fevereiro para o concurso do IFPE

No entanto, o verde está ai… bem ao alcance dos nossos olhos! Nos “imbuzeiros”, nas aroeiras, nos marmeleiros, nas “emburanas”… A vida está ai… Para ser contemplada!

Para ser desfrutada! Dos cânticos dos pássaros a fruta do mandacaru e do xique-xique. E toda essa riqueza tem como astro rei justamente aquele que é o vilão da história, o sol!

Mas, aqui para nós, existe amanhecer e entardecer mais nostálgico e sedutor do que o nosso do Sertão? Certamente não. Por isso somos privilegiados, pois a nossa a natureza tem um pouquinho de mitologia grega, já que quando tudo parece está feio e sem vida, eis que vem a chuva. E como no passe de mágica transforma tudo! Devolvendo a beleza a quem é bela por natureza!
Um forte abraço e até a próxima!

Veja também:   Festa do Bom Jesus já começou em Serra Talhada

caatinga 2

caatinga 3

caatinga 4

caatinga 5

caatinga 6

caatinga 7

caatinga 8

caatinga 9

caatinga 10

caatinga 11