SireneEquipes do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), de Recife, voltaram a Serra Talhada nessa quarta-feira (20) para reiniciar os trabalhos de investigação dando continuidade, agora, à segunda etapa da operação Paz no Sertão, que realizou várias prisões e apreensões de armas no início do mês.

Em conversa com o FAROL, agentes informaram que cerca de 12 investigadores e dois delegados, Guilherme Paiva e Francisco Océlio, estão na cidade e já recomeçaram o trabalho de intimação de pessoas para a tomada de depoimentos.

Veja também:   Márcia Conrado lidera caravana à convenção do PSB e diz que é leal

Agora, um dos focos da investigação são as mortes que ocorreram em 2014, antes do assassinato de Geovane Alves Pereira, 37, e de João Carlos Epaminondas, 44. Naquele mesmo fim de semana, em 22 de março do ano passado quando os dois foram mortos, outras três pessoas acabaram assassinadas em locais públicos, entre elas, Olímpio Pereira Júnior, 39.

A equipe do DHPP também tem a missão de apresentar mais indícios para sustentar a prisão das pessoas detidas na primeira fase da operação, entre elas, dois policiais militares que tiveram a prisão provisória decretada por um período de 30 dias.

Veja também:   Jair Bolsonaro é alvo de duras críticas em Osaka, no Japão