Da Folha de PE

A pesquisadora da Universidade Federal de Pernambuco Nathalia Bezerra foi uma das sete vencedoras da 13ª edição do prêmio “Para Mulheres na Ciência”. O projeto apresentado pela jovem, o único do Norte/Nordeste premiado, busca um possível aumento no tempo da validade do cimento em prol do benefício da economia brasileira. O programa “Para Mulheres na Ciência”, desenvolvido pela L’Oréal Brasil em parceria com a Unesco no Brasil e a Academia Brasileira de Ciências (ABC), tem como finalidade promover a igualdade de gênero no ambiente científico.

Os sete projetos aprovados englobam assuntos como a promoção da qualidade de vida para pacientes idosos em tratamento de câncer, o uso da pedra-sabão como solucionador para as próteses dentárias e ortopédicas e a busca da alimentação correta para a resistência das bactérias a antibióticos.

O trabalho de Nathália, focado na área da Química, utiliza técnicas como microscopia de fluorescência (propriedade que algumas substâncias possuem após excitadas com radiação de baixo comprimento de onda) e química quântica para analisar as reações que envolvem a degradação do cimento com a finalidade de propor novas formas para o armazenamento do material, na busca de sua durabilidade.

De acordo com Nathália, a congratulação “é um divisor de águas na minha carreira científica”. “Me motiva a prosseguir na carreira, serviu como injeção de motivação. As mulheres têm pouco espaço na ciência, os que temos precisamos aproveitar”, observou. A pesquisadora é bolsista do Programa Nacional de Pós-Doutorado (PNPD) vinculado à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe).

A entrega do prêmio será no próximo dia 4 de outubro, na sede da L’Oréal, no Rio de Janeiro. O programa, que está completando 13 anos no Brasil e 20 no mundo, tem como motivação a transformação do panorama da ciência, favorecendo o equilíbrio dos gêneros no cenário brasileiro e global, incentivando a entrada de mulheres no universo científico. A premiação reconhece, anualmente, cientistas nas categorias de Ciências da Vida, Química, Matemática e Física, contemplando as vencedoras com uma bolsa-auxílio de R$ 50 mil. Este ano 524 inscrições foram submetidas, das quais apenas sete foram selecionadas.