PE tem aumento de 5,78% nas mortes violentas
Apesar do crescimento dos assassinatos em 2023, Estado promete redução de 30% até o final de 2026 – Arthur Borba/Jc Imagem

Do JC

Pernambuco fechou o ano de 2023 com aumento nas mortes violentas intencionais. Estatísticas preliminares do governo estadual, obtidas pelo JC, apontam que ao menos 3.625 pessoas foram assassinadas. O crescimento foi de 5,78% em relação a 2022, quando 3.427 vidas foram perdidas por causa da violência.

Quando se fala em mortes violentas intencionais, como são classificadas pela Secretaria de Defesa Social (SDS), estão englobados os homicídios, latrocínios, feminicídios, lesões corporais seguidas de morte e os óbitos em intervenções policiais.

Só no último mês de dezembro, 337 pessoas foram mortas no Estado. Ao todo, 30 ocorrências a mais do que no mesmo período de 2022, segundo os dados preliminares. O detalhamento, por região do Estado, deve ser disponibilizado no site da SDS no próxima sexta-feira (5).

Questionada pelo JC, durante solenidade para entrega de novas motocicletas para a Polícia Militar, nesta terça-feira (2), a governadora Raquel Lyra argumentou que está trabalhando para reverter os números ao longo dos próximos três anos.

“Todo mundo sabe que esse trabalho de combate à criminalidade no nosso Estado precisa ser um trabalho que seja sustentável. A criminalidade em Pernambuco não aumentou da noite para o dia. Agora a gente está fazendo uma estruturação das forças operacionais de polícia, trabalhando com sistema de inteligência policial, fortalecendo o sistema penitenciário e garantindo um trabalho de prevenção social”, declarou, no Palácio do Campo das Princesas.

“Esse trabalho, com essa meta do Junto pela Segurança, nós vamos reduzir a criminalidade em 30% até o ano de 2026. Mas é um trabalho que tem começo, meio e não tem fim”, completou Raquel.

Veja também:   Polícia age para conter assaltos a motos no Sertão do Moxotó

meta de redução em 30% nos números da violência tem como base o resultado de 2022. Além das mortes violentas intencionais, o governo estadual promete a queda nos crimes patrimoniais, nos roubos e furtos de veículos e na violência contra a mulher.

ESPERA POR REUNIÕES PERIÓDICAS

Em meio ao aumento das mortes violentas intencionais, existe uma expectativa – e até cobrança de políticos da oposição – para que a governadora Raquel Lyra dê início a reuniões periódicas com os gestores da segurança pública (chefes da Polícia Civil, comandantes da PM, entre outros) para avaliar resultados, discutir ideias e autorizar investimentos dentro do Juntos pela Segurança – como ocorria mensalmente no Pacto pela Vida, nos 16 anos de gestão do PSB.

Nos bastidores, inclusive, secretários municipais de pastas similares à SDS também criticam a demora por uma reunião da governadora para discutirem parcerias e ideias de como as prefeituras podem contribuir com a redução da violência – com ajuda de recursos repassados pelo Estado.

ENTREGA DE MOTOS PARA A POLÍCIA MILITAR

Hesíodo Góes/Secom

Novas motos para a Polícia Militar foram entregues nesta terça-feira (2) – Hesíodo Góes/Secom

No primeiro dia útil de 2024, a governadora Raquel Lyra entregou 105 motocicletas para a Polícia Militar. Os novos veículos serão usados pelo efetivo da Região Metropolitana do Recife, além de batalhões localizados nos municípios de Goiana, Caruaru, Arcoverde e Petrolina. Deste quantitativo, 14 serão destinadas à Operação Lei Seca.

Veja também:   PE tem morte suspeita por dengue hemorrágica

O governo estadual prometeu que, até o final do mês, um total 428 motos serão entregues às forças de segurança, incluindo o Corpo de Bombeiros, Polícia Civil. O investimento é de R$ 5,7 milhões.

“Estamos iniciando um novo ano com mais equipamentos disponíveis para que os policiais possam trabalhar de maneira mais eficiente e também garantindo segurança para eles. Parte delas substitui as antigas e outras são um acréscimo que garante a nós um aumento em 65% do quantitativo de motocicletas disponíveis no policiamento no nosso Estado. A gente sai de algo em torno de um pouco mais de 250 e vamos para mais de 460 motos”, disse Raquel Lyra.

Atualmente, Pernambuco conta com 258 motos patrulhas e de resgate que são utilizadas pelas polícias Militar e Civil, pelo Corpo de Bombeiros e Lei Seca.

“A efetividade da moto é muito grande para a segurança pública, porque ajuda no acesso a lugares em que a viatura de quatro rodas não chega e que se fosse fazer a pé seria muito mais lento, muito mais demorado”, destacou o secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho.