Da Metrópoles

Foto: PF/Divulgação

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quinta-feira (7/4), a Operação Jakarta, com o objetivo de apurar ataque cibernético ao portal da Rádio Justiça, gerenciado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

São cumpridos dois mandados de busca e apreensão e dois de prisão preventiva no estado de São Paulo. Os investigadores também fazem buscas no Paraná. As ordens judiciais foram expedidas pela 15ª Vara da Justiça Federal no Distrito Federal. Na casa dos suspeitos, os policiais apreenderam armas, máscaras, pendrives, celulares e eletrônicos.

O inquérito policial foi instaurado a partir de notícia-crime encaminhada pela Suprema Corte, após a ação cibernética ilícita ter sido detectada pela Secretaria de Tecnologia da Informação do STF.

A investigação aponta que três suspeitos, em 23 de março de 2021, exploraram vulnerabilidade no site www.radiojustiça.jus.br, o que teria permitido o acesso indevido aos servidores. Nesse domínio, fica hospedado, além do portal, o sistema de consulta de peças processuais do STF (e-Supremo).

Os crimes apurados são de invasão de dispositivo informático e interrupção ou perturbação de serviço telegráfico, radiotelegráfico ou telefônico, além de impedir ou dificultar-lhe o restabelecimento, ambos previstos no Código Penal. Também há crime de corrupção de menores, com previsão no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Jakarta
O nome da operação faz referência a uma vulnerabilidade que permite exploração de falha capaz de liberar a execução de comandos remotos no servidor, o que possibilita ao criminoso obter controle sobre o servidor vulnerável.

Veja também:   Casos de dengue no País crescem 151% em 2022