PF vai receber imagens internas do aeroporto de Roma

Do Correio Brasiliense

A Polícia Federal (PF) vai receber, ainda nesta semana, imagens do circuito interno de TV do aeroporto de Roma, na Itália, para identificar detalhes do episódio da agressão ao ministro Alexandre de Moraes, na sexta-feira (14/7). As cenas já foram preservadas e serão concedidas ao governo brasileiro pela polícia italiana, por meio de uma cooperação internacional.

De acordo com informações da colunista Malu Gaspar,  do jornal O Globo, as imagens deverão servir para que a PF conclua a divergência entre as versões de  Moraes, que fez uma representação à PF relatando o episódio, e os três acusados de agredir o magistrado. O empresário Roberto Mantovani Filho, sua esposa, Andreia Munarão, e o genro do casal, o corretor de imóveis Alexandre Zanatta, contaram à PF histórias diferentes sobre a suposta agressão.

Veja também:   Durante chuva, carro cai em um canal no Sertão de PE

Segundo Alexandre de Moraes, que estava com sua família no aeroporto romano, a confusão começou quando Andreia Munarão se aproximou dele e o chamou de “bandido, comunista e comprado”.

Em seguida, Roberto Mantovani teria passado a gritar e dado um tapa nos óculos do filho do ministro, que também se chama Alexandre. A discussão continuou e os agressores teriam seguido a família até a sala VIP do aeroporto.

Como resposta aos supostos agressores, Moraes disse que tiraria fotos de todos eles e representaria à PF.

Depoimentos

Já no Brasil, os três, mais o filho de Mantovani que teria ajudado a conter as agressões, foram intimados a depor neste domingo (16/7) à PF.  Neste dia, só Zanatta compareceu.

Veja também:   Parlamento Europeu aprova resolução que condena atos em Brasília

À PF, ele afirmou que não estava presente no início da discussão e disse que só foi chamado quando a situação já estava praticamente resolvida. Zanatta disse ainda que não ofendeu ninguém.

Os outros dois envolvidos na suposta agressão a Moraes no aeroporto, Mantovani e Andreia, não prestaram depoimento. Eles, alegaram que estavam em um compromisso fora de Piracicaba quando foram intimados.

O casal divulgou uma nota dizendo não ter ofendido e nem agredido Moraes, mas teriam sido confundidos com outras pessoas. Segundo eles, por causa dessa “confusão interpretativa”,  “nasceu um desentendimento verbal entre ela e duas pessoas que acompanhavam o Ministro”.

Veja também:   Aliança com PSB seria 'desmoralização'

A nota diz ainda que “diante dessa discussão, que ficou acalorada diante das graves ofensas direcionadas a Andréa, Roberto, que tem mais de 70 anos, precisou conter os ânimos do jovem ofensor”.