Polícia investiga como detento fugiu em STPublicado às 13h30 desta sexta-feira (17)

A tragédia que chocou os moradores do bairro Vila Bela, em Serra Talhada, na manhã desta sexta-feira (17), tem chamado a atenção da Polícia Civil, principalmente, por uma peça que ainda não se ‘encaixa’ no quebra-cabeça do crime.

Em conversa com o FAROL, nesta manhã, os investigadores disseram que estão tentando entender como Luiz Oliveira (Foto), 50 anos, que estava cumprindo pena no Presídio de Salgueiro desde maio desse ano, conseguiu se deslocar até o bairro Vila Bela e matar a golpes de faca peixeira a ex-esposa, Márcia Daniele, 27.

Veja também:   Pernambucanas desfilam na Sapucaí pela escola Vila Isabel: 'emocionante'

Por ora, o que a investigação pode adiantar é que o assassino, que se matou cortando os pulsos após o crime, estava trabalhando como detento cedido para atuar na reconstrução da cadeia de Serra Talhada, no bairro Borborema há cerca de 15 dias.

O mistério para a Polícia Civil é saber como estava sendo feita a fiscalização de segurança durante a chegada e saída de Luiz Oliveira ao trabalho na detenção local. E se houve alguma facilitação para que ele pudesse cometer o homicídio.

“Estamos tentando entender como ele saiu do local onde deveria estar, que era no trabalho da reconstrução da cadeia onde vinha prestando serviço”, reforçou um dos agentes entrevistados pelo FAROL.

Veja também:   Petrolândia promove a Exposertão 2019

O detento vinha cumprindo pena há três meses em Salgueiro, após ser pego em flagrante, justamente por ter espancado a mesma ex-esposa. Na delegacia existem, pelo menos, três queixas de violência doméstica contra ele.

Durante o crime, o assassino ainda esfaqueou o irmão da vítima, que tentou evitar a matança entrando em luta corporal com Luiz Oliveira. Apesar dos ferimentos, o ex-cunhado não corre risco de morte.