PC revela detalhes de corrupção dentro da Delegacia de ST

Foto: Divulgação

Publicado às 14h10 desta quinta-feira (3)

Durante entrevista coletiva nesta quinta-feira (3), em Recife, a Polícia Civil detalhou a ação realizada em Serra Talhada no dia ontem, na chamada Operação Pérfido, sinônimo de traição. As investigações foram iniciadas no mês de junho, após uma denúncia anônima, que atingiu em cheio um comissário de polícia lotado na capital do xaxado.

A operação foi supervisionada pela Chefia de Polícia Civil, sob a Presidência do Delegado de Polícia Ivaldo Pereira, Delegado Chefe do Grupo de Operações Especiais – GOE/DRACCO, juntamente com os delegados Tenório Neto e Jorge Pinto.

Veja também:   Maciel Melo, Assisão e muito mais em ST

Na coletiva, Jorge Pinto revelou a prática de corrupção dentro da DP de Serra Talhada, praticada pelo comissário investigado que está com a prisão preventiva decretada.

“O comissário, durante a realização de plantões, fora de expediente, estaria se aproveitando da baixa circulação dentro da delegacia para desviar, não só drogas, mas procedimentos sigilosos. Com apoio da nossa diretoria de inteligência, e câmeras de monitoramento, as denúncias anônimas se confirmaram. Há uma possibilidade de vínculo entre este comissário e traficantes  da região. Há também informações que ele poderia estar trocando drogas por relações sexuais”, disse Jorge Pinto, acrescentando:

Veja também:   Mulher golpeia homem com capacete em ST

“Foi decretada a prisão preventiva deste comissário e foi recolhido ao COTEL na tarde de ontem, e fica a cargo da justiça agora. A gente tem um prazo de trinta dias para concluir o inquérito. Esperamos sempre que sirva de exemplo”.

MAIS PRISÕES

Já nesta quinta-feira (3), no Fórum de Serra Talhada, o influencer digital que também foi preso na operação, foi conduzido a uma audiência de custódia. Até o fechamento desta edição não havia informações sobre o desfecho. Uma outra pessoa, ainda não identificada, também foi preso.

Veja também:   Homem é flagrado com rifle em ST

Foram apreendidos 11 celulares, 21 munições calibre 40, 38 e 32, 01 colete e R$ 2.417,00, além de porções de entorpecentes, algemas, HDs, pendrives, cartão de memória e notebook.