“Com todas as dificuldades, estamos entregando o governo de cabeça erguida e com o sentimento de dever cumprido”. Foi com essa frase que o agora ex-prefeito Carlos Evandro (sem partido) finalizou o seu discurso durante a cerimônia de posse do prefeito Luciano Duque, na noite dessa terça-feira (2). “Carlão” reconheceu que não conseguiu imprimir todas as mudanças necessárias. Entre elas, citou a questão do trânsito de Serra Talhada. “Mas sei que você, Luciano, vai resolver isso”, ressaltou o ex-gestor.

Segurando as lágrimas e com a voz meio entrecortada, Carlos Evandro agradeceu aos familiares, em particular os filhos, pela paciência que tiveram “quando não estive presente para cumprir a função de pai” devido compromissos políticos. E destacou que, após as eleições 2012, seu nome entrou para a história política do município por ter sido o primeiro prefeito a eleger seu sucessor.

“Nosso trabalho deu resultado. Carlos Evandro está entrando para a história política de Serra como o prefeito que além de se reeleger fez o seu sucessor”, destacou, lembrando que vai voltar a profissão de médico. “Carlão” não deixou de citar os problemas enfrentados pela Prefeitura de Serra Talhada diante da queda de receitas.

“Tivemos dificuldades para cumprir compromissos devido a retirada brusca da receita provocada pela crise internacional, que acabou fazendo a presidente Dilma tomar medidas que prejudicaram os governos municipais. De junho a dezembro deste ano, Serra perdeu mais de R$ 5 milhões de reais”, justificou Carlos Evandro, explicando a necessidade de expor “essa choradeirazinha”.

“Porque tem muita gente que quer tirar proveito dessa situação feito urubu, e temos que alertar que o problema que estamos enfrentando não é particular, mas de todo país. Não é justo a União ficar com 65% de arrecadação, o estado com 25%, sobrando quase nada para os 5.865 municípios. Imprevisto orçamentário, só Deus para fazer milagre”, finalizou o ex-prefeito.

Veja também:   Ministro Alexandre Moraes diz que a internet deu voz aos imbecis