Presença de Bolsonaro na Câmara despencaDo JC Online

A analise da participação geral do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) em comissões no atual mandato – o sétimo dele na Câmara -, revela que o interesse do parlamentar em participar de temas debatidos permanentemente da Casa vem caindo ano a ano.

Em 2015, primeiro ano da legislatura, Bolsonaro foi a 141 reuniões de comissão, seja como titular, suplente ou não membro. Neste ano, o presidenciável demonstrou interesse em discutir, por exemplo, políticas de direitos humanos e minorias – ele foi titular desta comissão, mas faltou a 38 reuniões -, desarmamento, maioridade penal e registro civil. Em 2016, Bolsonaro participou oficialmente de 42 reuniões do tipo e, em 2017, foi a apenas 34.

Veja também:   Bombeiros combatem incêndio em Serra Talhada

Dados publicados no site da Câmara dos Deputados mostram ainda que de 2015 pra cá, Bolsonaro foi membro titular de ao menos uma comissão permanente e atuou em uma CPI, a da Funai. Mas mesmo quando o tema debatido faz parte de seu discurso, como no caso da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, outros parlamentares têm voz mais ativa que a dele, como Jean Wyllys (PSOL-RJ), que marcou presença 38 vezes.
Comissão militar

Em 2017, Jair Bolsonaro faltou a 70% das reuniões e audiências públicas realizadas pela Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, da qual foi membro titular. O grupo é o responsável na Câmara dos Deputados por discutir parte das bandeiras defendidas pelo presidenciável, como política externa, direito e processos militares e relações diplomáticas.

Veja também:   Entre lágrimas e acordes de sanfona, ST dá adeus a Ivaldo Nogueira