Fotos envidas por Ricardo 

Publicado às 17h59 desta terça ()

Em outubro de 2021 o Farol de Notícias divulgou campanha feita pelo compositor serra-talhadense Ricardo Cardouzo, em que ele pediu ajuda para participar de evento musical (relembre aqui). Muitas pessoas se sensibilizaram com a história do artista e o ajudaram financeiramente nessa sua aventura para Goiânia (GO). No dia 20 de novembro Ricardo esteve no Miyazato Experience e compôs 2 músicas junto de outros compositores, suas músicas são do gênero sertanejo e já estão a disposição dos artistas que quiserem gravar. O compositor ainda falar como esse evento vem mudando a sua trajetória musical e de como foi enriquecedor para ele.

“Cristian Luz era um dos orientadores e fez parte da primeira rodada de composição do dia, fiquei sob orientação dele, fizemos uma música juntos. Cristian Luz já compôs com Edson e Hudson, Chitãozinho e Xororó, e tem um álbum de Chitãozinho e Xororó que que ganhou um Grammy que teve a participação de Cristian Luz. Essa rodada para mim foi um dos pontos altos, porque esse evento me proporcionou compor uma música com um cara que já participou de álbum que ganhou um Grammy, é algo que não teria nem noção que poderia acontecer”, explicou Ricardo acrescentando:

“Bruna Campos, que é mentora do curso Compositores Profissionais, estava lá também ajudando na orientação, todos os compositores que fizeram parte da primeira e da segunda edição do Miyazato Experience são alunos da Bruna Campos. Ela estava lá o tempo todo ajudando, dando toques, fez toda a coordenação junto do evento, ela é uma pessoa maravilhosa, muito acolhedora, tratou todos os compositores muito bem, é uma pessoa realmente fantástica, que mudou o rumo da minha história musical”.

Veja também:   Vacinação contra covid-19 para crianças de 3 anos

A IMERSÃO NO SERTANEJO

Ricardo passou o dia em composição, junto de vários compositores que assim como ele foram selecionados. Ele teve a experiência de ter audições de apresentação das músicas. Tudo que foi vivenciado foi muito novo, pois o compositor serra-talhadense vem de uma veia do rock, sair da sua zona de conforto lhe abriu a mente para novas e inesquecíveis experiências. Ele não pode falar sobre as letras das músicas, pois o contrato que foi assinado pede sigilo, até que os artistas escolham a composição.

“Todos os grupos faziam uma audição para apresentar as músicas compostas, as audições no mercado sertanejo tem uma função importantíssima, grupos de composição fazem verdadeiros shows, voz e violão, voz e sanfona para defender a música, no intuito que o artista grave aquela música para ter as negociações, então tivemos essa experiência, sem que tivesse a competição, foi mais para apresentar a música”, salientou Ricardo detalhando:

“Não existia a pretensão de músicas escolhidas, todas as músicas foram compostas e gravadas, agora estão passando por edição pela Três Sons, que é a editora que cuida das músicas do Miyazato. Eu compus duas músicas lá, que já estão sendo editadas para elas ficaram a disposição para qualquer artista que queira gravar. Caso elas sejam gravadas, dividimos a porcentagem tanto da liberação, quanto dos direitos autorais. A primeira música teve participação de 5 compositores, Rodolfo Rodd, Reginaldo Silva, Deivid Zine, Cristian Luz e Ricardo Cardouzo. A segunda música foram 4 compositores, Beto Soroli, Maninho Meneses, Jow Jow Vieira e Ricardo Cardouzo. Não tenho como passar detalhes das letras, porque assinamos contrato de sigilo”.

Veja também:   Músicos, amigos e familiares dão adeus a Naldinho em ST

AS LIÇÕES QUE APRENDEU

Ricardo disse ao Farol que ainda tem uma longa jornada pela frente, quando se trata de composição de música sertaneja, mas que já está se dedicando e aprendendo cada vez mais. Ele ainda revela que foi muito importante participar desse evento, pois compôs com pessoas que nunca tinha tido contato na vida, entendeu melhor o mundo do sertanejo atual e deu uma guinada no seu trabalho de compositor. Ricardo ainda continuará compondo rock, mas agora também vai se dedicar ao mercado sertanejo.

“O que eu aprendi é que mesmo com todo o estudo que eu já fiz, as minhas composições ainda tem muito o que evoluir para chegar no padrão do sertanejo atual, isso não é uma questão de falsa modéstia, é realmente a realidade. Lá tive a experiência de compor com Cristian, tivemos o feedback do produtor Ivan Miyazato, Leandro Rojas, que já é outro compositor já renomado, no meu caso, que era o aluno mais recente, eu tirei essa grande lição, que ainda tenho uma grande jornada a ser trilhada, o tempo que vai levar não tem como se dizer, mas ter vivido isso em tão pouco tempo já foi o maior presente que eu podia ter recebido nesses últimos tempos. Porque a experiência de vida, o fato de ter participado de uma audiência, mesmo sem competição, vivenciar tudo isso, compor com pessoas que eu nunca tinha tido contato, foi um exercício que foi uma virada enorme de página”, relatou o compositor detalhando:

Veja também:   ST amarga mais uma vida perdida para a Covid-19

“E o que fica além disso é uma porta aberta, muitos compositores sonham em mandar suas músicas para entrar nas audições do Miyazato Musical, produtora do Ivan, porque eles não recebem música assim, a produtora é muito grande e eles preferem os compositores que tenham uma experiência. Fazer parte do curso de Bruna já me colocou nesse grupo e ter sido selecionado para participar do evento do próprio Miyazato me deixa com essa porta aberta para quando eles tiveram uma demanda música entrarem em contato a gente, muitos compositores sonham em ter esse acesso livre e não têm, foi mais uma grande coisa que ter ido a Goiânia me proporcionou”.

PARA CHEGAR AO EVENTO

Para chegar ao evento Ricardo fez uma campanha virtual e contou também com o apoio da TV FAROL onde fez uma live para ajudar no custeio da viagem [ASSISTA AQUI].