Secretária critica os que negam a vacina em STPublicado às 09h53 desta terça-feira (28)

A secretária de Saúde, Lisbeth Rosa Lima, abriu o jogo com relação ao combate ao novo coronavírus em Serra Talhada. Durante entrevista ao programa Falando Francamente, na TV Farol, nessa segunda-feira (27), ela fez um balanço do ‘Dia D’ de vacinação que ocorreu no último final de semana, e lamentou que ainda há pessoas que insistem em trilhar pelo negacionismo, recusando vacinar-se contra a Covid-19. Durante a entrevista, a secretária informou que foi formada uma força-tarefa para tentar convencer os que negam a imunização.

“Acima de 20 anos, eu tenho 559 pessoas que se recusam a tomar vacina, isso até sexta-feira. Outra informação é que somando acima de 20 anos, incluindo esses que se recusam, eu tenho 2.117 que ainda não tomaram vacina, porém eu tive 145 que tomaram, acima de 18 anos, então pode ser que nesses 145 pode ter entrado aí, mas é muito pouco ainda. A maioria dessas pessoas que recusam a vacina, a gente tem uma lista dessas pessoas com telefone e eu pessoalmente liguei para algumas pessoas e depois a nossa ouvidoria ligou para cada uma se identificando como sendo da Secretaria de Saúde conferindo se ela realmente não havia tomado vacina. Alguns já haviam tomado em outro município, outros já haviam tomado na GERES, mas o cadastro estava feito no nosso sistema, não tinha dado baixa e outros se recusam terminantemente, a gente explicou, tentou convencer da importância da vacina, mas infelizmente as pessoas não aceitam e por conta dessas pessoas nós não vamos deixar de avançar. Se tem a vacina e a vacina tem um prazo, porque a vacina da Pfizer, mesmo que a gente não dilua, ela tem um prazo para ser usada e eu não vou perder dose por conta de pessoas que não querem tomar”, explicou,

Veja também:   Mais de 10 homens executam vitima dentro de casa em Belmonte

RAZÕES DA NEGAÇÃO

Ainda durante a entrevista, Lisbeth Lima revelou quais os principais argumentos utilizados pelos os que não querem a vacinação, colocando em risco, inclusive, a vida de outras pessoas. “Uns  dizem que não acreditam na vacina, que essa doença não existe, que não vai tomar porque não quer e que não toma e não toma mesmo. Infelizmente é, agora quando chega no serviço de saúde precisando de oxigênio, ou de um atendimento por conta da própria doença é muito difícil para a gente porque imagine você morrer porque seu organismo não processa uma coisa que a gente tem gratuita desde que o mundo é mundo que é o oxigênio”, disse Lisbeth, acrescentando:

Veja também:   PT repudia ataques 'criminosos' a Marília

“A gente já teve situações em que pessoas chegaram em unidades de saúde oferecendo alguma gratificação para o funcionário da unidade fornecer apenas o cartãozinho que a pessoa foi vacinada, mas é terminantemente proibido, inclusive gera até perda do emprego, caso a pessoa faça. Graças a Deus, a nossa equipe de saúde é bem consciente que isso é um crime. Nos Estados Unidos, os casos de Covid-19 estão aumentando muito, estão subindo muito rápido  de casos novos, como consequência a gente tem o não uso de máscaras porque as pessoas não utilizam máscaras, a maioria não aceita e a baixa cobertura vacinal”.

Veja também:   Mais um posto de saúde é alvo de bandidos em Serra Talhada

VEJA A ENTREVISTA DA SECRETÁRIA LISBETH NA TV FAROL