Sequência de mortes pela Covid revela vítimas mais jovensPublicado às 05h desta quarta-feira (7)

Os óbitos registrados no Hospital Eduardo Campos, em Serra Talhada, revelam que as vítimas da Covid-19 têm um perfil cada vez mais jovem, e que se não fosse a ação fulminante do vírus, teriam ainda muito tempo para lutar em busca dos seus sonhos. No último dia 5 de julho um agricultor serra-talhadense, de apenas 38 anos, não resistiu, mas outros óbitos foram registrados.

Também na segunda-feira (5) uma mulher de 42 anos, que residia no município de Flores, Sertão do Pajeú, testou positivo no dia 26 de junho e faleceu. Ela faria aniversário no dia 17 de julho. Antes, no dia 2 de julho, uma tabirense de 56 anos também morreu no Hospital Eduardo Campos, vítima da Covid-19. Ela testou positivo no dia 24 de junho.

Veja também:   Sistema de saúde da Irlanda é paralisado por ciberataque

RELAXAMENTO

A sequência de mortes coincide com o relaxamento do uso de máscaras, em especial no município de Serra Talhada. No último final de semana, a reportagem do Farol esteve na Academia das Cidades, no bairro Ipsep, e constatou que 80% das pessoas que faziam caminhada no local não usavam máscaras. O pior, muitas faziam exercícios em grupo. Também foi identificado grupos de adolescentes em rodas de conversa na praça, todos sem usar máscaras.