O FAROL volta a lançar mais uma série de reportagem discutindo, agora, os futuros da educação em Serra Talhada no tocante ao combate ao analfabetismo no município. Iremos publicar um conjunto de três reportagens nos próximos dias baseados, principalmente, em dados recentes divulgados pelo IBGE acerca da área educacional. Fique de olho nesta nova série e aproveite para comentar!

A Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios (PNDA) divulgada na semana passada pelo IBGE, revelou que houve um ligeiro aumento nos índices de analfabetismo no Brasil. Hoje, segundo a pesquisa, existem 12,7 milhões de brasileiros analfabetos maiores de 15 anos. Este número era de 12, 4 milhões em 2011. Portanto, 8,5% da população não sabe ler e escrever.

Mas em Serra Talhada a situação é bem pior. Segundos dados de 2010, existem na Capital do Xaxado 12.653 analfabetos. Ou seja, 20,3% da população. Um número muito alto para uma cidade com cerca de 90 mil habitantes, que vem brigando para ostentar um aeroporto moderno e até um shopping center. Os números de Serra Talhada são superiores as taxas do Nordeste (17,4%).

O curioso é que no plano de governo do prefeito Luciano Duque (PT), registrado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), o combate ao analfabetismo foi colocado como prioridade com promessas de implantação de núcleos de alfabetização de jovens e adultos nos bairros e na zona rural.

Entretanto, até agora, não houve nenhuma inovação do governo petista no incentivo a projetos para jovens e adultos. O governo vem se limitou a dar prosseguimentos aos programas deixados pela gestão Carlos Evandro e mantendo a parceria com o governo do Estado, através do programa Paulo Freire.

Veja também:   Jovem transsexual é assassinada no Sertão nessa sexta-feira (13)

O OUTRO LADO

O secretário de Educação de Serra Talhada, Edmar Júnior, reconhece que os números ainda são altos mas prometeu ações para minimizar o problema. Hoje, a prefeitura mantém apenas dez escola trabalhando com a Educação de Jovens e Adultos (EJA) num total de 482 alunos.