ST dos anos 50 com 'pés' no passado e no futuro

Por Paulo César Gomes, Professor, historiador e colunista do Farol

A coluna “Viagem ao Passado” resgata hoje uma imagem do início dos anos 50, cheia de saudosismo e de encantamento. Trata-se de um registro de uma Serra Talhada que transitava entre o moderno, com destaque para então construída concatedral de Nossa Senhora da Penha; os aspectos rurais, tendo a figura do homem montado em seu animal que conduzia dois caçuás por uma estrada de terra; e sempre emoldurada pela beleza singular da serra talhada.

Veja também:   Morre o serra-talhadense Vavá Ferraz

Nesse contexto é preciso registrar a grandiosidade do casarão do Coronel José Pereira, que deixou Princesa Isabel-PB para viver em nossa cidade, uma espécie de exílio político. A residência existia na esquina da rua Joca Magalhães com a rua Coronel Cornélio Soares (a popular rua dos Correios).

Receba as manchetes do Farol em primeira mão pelo WhatsApp (clique aqui)

Importante que a imagem deixa claro que na época ainda não existia o Pronto Socorro São José, o primeiro hospital particular do município, nem tão pouco o EREM Cornélio Soares, ou seja, a rua dos Correios se encontrava com a atual Avenida Custódio Conrado.

Veja também:   Reino Unido apoia Parada da Diversidade de PE

Os principais fatos de Serra Talhada e região no Farol pelo Instagram (clique aqui)

Apesar, infelizmente, de todas as transformações urbanísticas ocorridas ao longo dos tempos, essa fotografia, que faz os nossos olhos brilharem como se fosse um soneto de Emydgio de Miranda, só reforça o que foi descrito por Arnaud Rodrigues, em uma de suas músicas. Serra Talhada é de fato uma “Divina Cidade”, ou bem descreveu a Professora Amália Rocha, “A Rosa do Sertão”.