Fotos: Celso Garcia/Farol de Notícias

Publicado às 05h25 desta quinta-feira (14)

A leitura tem um papel de suma importância na fase inicial do desenvolvimento cognitivo da criança, uma vez que ajuda a desenvolver o imaginário, a aquisição da linguagem e torna a infância mais saudável. Diante destes e de outros benefícios da leitura desde a primeira infância, o papel da família no contexto e no dia a dia dos pequeninos não deve ser negligenciado. O incentivo à leitura por parte dos adultos pode definir a trajetória de vida de uma criança, como promete definir a de Andressa Nogueira de Carvalho Marques, que tem 12 anos.

Além do incentivo da família, um autor de literatura infantil pode contribuir tanto para ampliar a imaginação da criançada quanto para ser mola propulsora de sonhos. Temos como exemplo o escritor e poeta José Amaurílio, que através de uma feira literária que realiza anualmente das escolas municipais de Serra Talhada, despertou em Andressa o sonho de, assim como ele, ser escritora.

A feira de livros aconteceu em 2017, na Escola Municipal Maria José de Sá Ferraz, onde ela estudava. Na época tinha apenas 7 anos. Durante a feira, Andressa conheceu José Amaurílio e ficou encantada com a produção literária do autor. Apesar de ainda garotinha, o encontro foi responsável pelo surgimento do novo sonho. A admiração pelas obras do escritor foi tamanha que Andressa, naquele mesmo momento, decidiu que queria ser escritora e externou seu desejo ao professor, fato que muito lhe emocionou porque teve certeza que seu trabalho estava inspirando as crianças.

”Eu me aproximei de Amaurílio, conversei e me encantei pelas apresentações dele. Por isso e porque gosto muito de escrever decidi que queria ser escritora, escrever muitos livros e publicar. Além de gostar de escrever gosto muito de ler, já ganhei um concurso de leitura em primeiro lugar. Quero escrever para incentivar outras crianças a gostarem de ler e escrever. Os primeiros livros que lembro que li e me marcou foram de Monteiro Lobato, mas leio bastante coisa. Ele e Amaurílio são minhas inspirações”, revelou, continuando:

Veja também:   Câmara aprova texto-base de projeto que regulamenta ensino domiciliar

”Ano passado escrevi o livro ”Uma princesa diferente das outras”. É sobre uma princesinha que ao invés de querer se casar, preferia estudar e gostava muito de ler livros. Também escrevi um de poemas sobre o Cônego Torres, para um concurso de poesia, mas é de propriedade da escola. Já comecei fazer outro livro sobre uma menina de fé, mas ainda falta muito para terminar. Pretendo escrever contos e romances também, além de ser um sonho, escrever para mim é uma terapia, tira minha ansiedade.”

INCENTIVO MATERNO

A mãe da adolescente, Luciana Carvalho, 41 anos, dona de casa, moradora do bairro Cohab, em Serra Talhada, também é mãe de Larissa de 10 anos e Lorena de 3. Não teve muito incentivo a leitura durante a infância, por isso, desde as meninas muito pequenas já incentivava as filhas. Ela apoia o sonho de Andressa de se enveredar pela literatura ou pela arte, pois admira o talento da filha.

”Eu sempre contava historinhas para elas antes de dormir. Contava história em quadrinhos e sempre inventava de cabeça também. Gosto e incentivo que elas se empenhem na escola, participem dos eventos escolares de forma prazerosa e não só por obrigação. Um dia ela chegou em casa e disse que ia ter uma feirinha de livro na escola e eu disse que legal, vamos fazer tudo diferente, vamos de fantasia. Ela foi, participou, se destacou e fiquei muito feliz porque quando era criança não tive esse incentivo. Ela também gosta muito de desenhar, sempre foi criativa e se destacava em tudo”, explicou a mãe, acrescentando:

”Esse universo da leitura torna um adulto de mente mais saudável e com um futuro promissor. Eu super incentivo minhas filhas para a leitura. Lorena já tem o primeiro livrinho que é ”Cachinhos Dourado”, é o preferido dela, tento inserir outros, mas ela está muito apegada a Cachinhos Dourado”. Larissa e Andreza já ganharam concurso de leitura na escola e apoio muito o sonho dela de ser escritora ou de se dedicar a arte do desenho porque desenha muito bem, acho belíssimo. Ela tem muitos pensamentos para expressar”.

Veja também:   Educação convoca novos professores em ST