Fotos: Farol de Notícias/Max Rodrigues

Publicado às 05h18 desta sexta-feira (11)

Após o governador Paulo Câmara anunciar o fim das festas de Natal e Ano Novo no estado de Pernambuco, devido ao crescimento da covid-19, a população serra-talhadense se dividiu em se tratando de opinião. Com isso, a reportagem do Farol foi às ruas do Centro de Serra Talhada ouvir o povo e constatou que a maioria aprovou o decreto.

A reportagem conversou com 8 serra-talhadenses, sendo 3 do sexo masculino. Dos 8 entrevistados, apenas 2 não aprovaram a decisão do governo. Também foram questionados sobre o que pensam da possibilidade do fechamento do comércio e apenas 2 acreditam que fechar o comércio séria uma medida viável para a redução de contaminação no município.

José Nunes da Silva, 45 anos, motorista:

”Se é para benefício da população e se os casos do covid estão aumentando, não sei se seria a coisa correta para fazer porque não pode ir festas na rua, mas não evitam festas em casa, em bares, chácaras, que o pessoal vai bastante, mas se é para benefício da população é necessário sim. O comércio não deve ser fechado novamente, poderiam colocar uma lei mais rigorosa, porque fechar o comércio também não resolve o problema.”

Edna Solange, 55 anos, professora, moradora do Centro:

”Se o povo fosse educado daria para fazer tudo nos conformes. As pessoas não se educam, se o povo se educasse dava para ser feito tudo. Ele está certo de proibir porque o povo não se educa. O comércio não deveria fechar totalmente, porque tem muitos serviços essenciais, mas poderia ser como no início, foi fechado alguns, poderia diminuir o horário para diminuir o fluxo de pessoas nas ruas.”

Veja também:   Passageiro é pego com 50 kg de maconha em ST

João Fernandes, 27 anos, Zootecnista, morador do Centro:

”Eu concordo com a proibição das festas pela situação que estamos vivendo  com o covid. A única maneira de diminuir as contaminações é com a proibição dessas festas e com o fechamento do comércio.”

 

 

Silvia Luísa Souza Santos, 29 anos, Assistente Social, moradora do Centro:

“É super importante e necessário para esse momento que estamos vivendo. A gente sabe que a saúde aqui em Serra Talhada, por mais que tenha hospitais, por mais que digam que estão preparados, eu acredito que é importante para não superlotar o sistema de saúde. O comércio também deveria fechar completamente porque as pessoas não respeitam as medidas de segurança, aglomera mesmo havendo a fiscalização, por isso, o ideal mesmo é fechar.

Letícia Magalhães, 26 anos, Técnica de Enfermagem e Bióloga, moradora da AABB:

”A proibição das festas é uma medida correta porque fica um grande número de pessoas aglomeradas e vai ter muita gente contaminada por conta disso. Já o comércio não concordo fechar porque os lojistas tem um controle, disponibilizam álcool e não permitem entrarem sem máscara e as famílias precisam trabalhar. Dá para ter um controle, diferente de uma festa.”

 

Renata Moraes, 29 anos, Enfermeira, moradora da AABB:

”Eu acho injusto, quer dizer que se você sentar num bar não está propagando vírus não, só em se tiver música ao vivo? Acho injusto mesmo. O comercio, se fosse para fechar todo, deveria fechar, mas fechar umas categorias e outras não é injusto também, porque tem umas que são privilegiadas.”

 

George Bezerra, 29 anos, Auxiliar de Escritório, morador da AABB:

”Acho que essa proibição de festas é conveniente para o governo, durante a eleição ninguém viu eles proibindo as aglomerações e coincidente ou ironicamente os casos caíram, mas passou as eleições, já começaram notificar novamente os casos de covid. O fechamento das festas só confirma que é uma jogada política, percebe que tudo isso é jogada, eu sei que a doença existe, mas eles não estão preocupados com a população, estão preocupado com poder, em fazer jogada de controle de massa. Esse fechamento de eventos é pura balela, eles não se importam.”

Veja também:   Prefeita Márcia lança Plano de Ação Climática para Serra Talhada

José Ivanildo, 36 anos, mototaxista, morador da Fazenda Patos, município de Serra Talhada:

”Proibir a festa tá bom, mas o comércio não deve ser fechado porque nas eleições estava tudo se abraçando candidato abraçando todo mundo. Não acho que deva fechar porque a gente tem que parar de trabalhar, e vai morrer todo mundo de fome?”