Da Revista Forum

Foto: Reprodução

A operação policial que matou ao menos 8 pessoas [moradores da região falam em ao menos 20 mortos] no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo (RJ), neste último final de semana, se soma a pelo menos 38 casos de chacina registrados no estado do Rio de Janeiro somente este ano.

Os dados são da Rede de Observatórios de Segurança, entidade composta por organizações acadêmicas e da sociedade civil que monitora e difunde informações sobre segurança pública, violência e direitos humanos. Segundo a Rede, até outubro deste ano, das 38 chacinas registradas no RJ (4 a mais que em 2020), 27 delas foram cometidas por policiais, o que culminou, no total, em 128 mortes. Isso significa que 71% das chacinas no estado foram promovidas por forças policiais.

Em nota divulgada nesta segunda-feira (22), a Rede de Observatórios de Segurança trouxe esses dados sobre as chacinas para repudiar a nova operação policial no Salgueiro, que carrega indícios de tortura e teria sido motivada por vingança.

“As características dessas matanças são parecidas. No Jacaré, acompanhamos a série de mortes com graves indícios de execuções e hoje moradores do Salgueiro relatam que não encontraram armas junto aos corpos e que os mesmos estão desfigurados. Há indícios de que houve tortura. Operações vingança são banhos de sangue que nunca resolveram os problemas de violência do Rio de Janeiro. Pelo contrário, o estado é marcado por momentos de aumento da violência local e acirramento de tensões após operações vingança”, diz um trecho da nota.

A entidade ainda relaciona o aumento da violência no estado aos planos de reeleição do governador Cláudio Castro (PL).

“Em busca da reeleição, Cláudio Castro tem mantido a política que permite que a polícia entre na favela e deixe corpos no chão. A Rede de observatórios condena mais essa barbárie, manifesta seu repúdio à continuidade e à escalada de letalidade das ações policiais no RJ. Em plena vigência da determinação do STF de controle das operações policiais na pandemia deixamos o questionamento: é essa a política de segurança pública que Cláudio Castro continuará sustentando? O que o Ministério Público tem a dizer sobre as mortes ocorridas no Complexo do Salgueiro? A Rede também presta solidariedade a todas as mães que choram pelos seus filhos”, finaliza o texto.

Chacina do Salgueiro: entenda

Uma operação da Polícia Militar realizada neste domingo (21) no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo (RJ), deixou, segundo relatos de moradores da região, pelo menos 20 pessoas mortas. A ação tem sido classificada como uma chacina.

Na manhã desta segunda (22) moradores retiraram 8 corpos de dentro de um manguezal no bairro do Palmeiras.

Moradores da região retiram corpos do mangue (Reprodução)
De acordo com as primeiras informações reveladas pela Polícia Militar do RJ, o final de semana foi marcado por confrontos entre a corporação e traficantes.

No entanto, em áudios que circulam pelas redes, moradores falam de um suposto revide, pois um PM foi morto neste sábado (20) durante patrulhamento na região.

Vídeo feito pelo moradores mostram os corpos empilhados.

“Dizem que tem muto menino morto lá dentro (do mangue). Tem muita gente chorando. Os policiais quando passaram, estava eu e o meu irmão no portão de casa… quando o Caveirão passou, eles falaram ‘valeu, muito obrigado heim’. Tipo, sabendo o que já tinha deixado lá atrás, entendeu? Os corpos”, relata uma moradora do Complexo do Salgueiro.

A mesma moradora relata que as mães estão entrando no mangue para retirar os corpos de seus filhos.

“As mães estão entrando dentro do mangue, com o mangue acima do joelho para tentar puxar os corpos. Tem uns que conseguiram sair”, relata.

Em tom de desespero, outro morador relata que há “muito desespero e corpos”.

“Caralho, eu too aqui dentro e é mó desespero, você não tem noção, é muito corpo, tô aqui dentro (do mangue), é muito corpo”.

Outra moradora afirma que há mais de 20 corpos dentro do mangue. “Tem muita gente morta, tem umas 20 cabeças (pessoas mortas) dentro do mangue. Só saiu sete, oito garotos… muito conhecido da gente morreu, a gente tava no mangue pra ver se consegue tirar, mas todos mortos”.

Repercussão

Políticos do RJ têm repercutido a operação no Complexo do Salgueiro. A deputada federal Talíria Petrone (PSOL-RJ), por exemplo, classificou a operação como “horror”.

“Que horror o que aconteceu, mais uma vez, no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo. Já são 8 mortos! A política pública de segurança pública não pode ser baseada na vingança nem priorizar o confronto. Por que a vida negra da favela vale menos pro Estado? Chega!”, escreveu a parlamentar.

À Fórum, a Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG) afirmou que está no local onde foram encontrados os corpos e que está realizando as primeiras diligências.

“A Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG) está neste momento na localidade Palmeirinha, na comunidade do Salgueiro, em São Gonçalo. A perícia está sendo realizada próxima ao mangue, onde oito corpos, ainda não identificados, foram localizados por moradores. As equipes também realizam as primeiras diligências na região para a coleta de elementos informativos que possam ajudar a esclarecer a dinâmica dos fatos”, revelou a PM do RJ.