Uma boa notícia deve motivar ainda mais a luta contra violência sexual a crianças e adolescentes em Serra Talhada. Os números de casos de crimes de estupro e exploração a meninos e meninas caiu 30% em um ano na cidade, segundo dados da gerência de controle de estatísticas da Delegacia de Polícia Civil da Capital do Xaxado. Analisando os casos no primeiro quadrimestre de 2013, entre janeiro e abril foram contabilizadas sete ocorrências de violação à integridade de menores de idade no município.

No mesmo período do ano passado, foram diagnosticados dez casos. Ou seja, três ocorrências a menos, o que significa uma leve, porém importante redução no número de crimes contra criança e adolescentes em Serra Talhada. O relatório aponta ainda que durante todo o ano de 2012, foram registrados 23 casos na Capital do Xaxado. O quantitativo, apesar de parecer baixo, esconde um grave problema.

De acordo com o Departamento de Polícia da Criança e do Adolescente (GPCA) do estado, cerca de 80% dos casos de abuso ocorrem dentro da família ou envolvendo alguém do convívio da vítima. “Devido a este fato, muitos dos casos acabam sendo abafados. O problema é que quanto mais de faz isso, se potencializa a violência porque o agressor vai se sentir protegido”, comentou uma das coordenadoras da GPCA, Claudeny Spnelly, em conversa com o FAROL.

No último sábado, foi comemorado o Dia Nacional de Combate à Exploração e Abuso Sexual contra Crianças e Adolescentes. O governo municipal realizou, durante toda a semana, ciclo de palestras nas escolas. A campanha terminou com uma passeata em protesto aos casos registrados na cidade e serviu como alerta para as famílias que ainda temem expor a problemática. Claudeny Spnelly destaca a importância de fazer a denúncia de violência através do dique 100.

CRESCIMENTO 

Outro fato chama a atenção nos dados policiais: o crescimento dos números de casos de crimes de estupro e exploração contra crianças e adolescentes em setembro, durante os festejos da padroeira da cidade. Neste mês, em 2012, foram registrados quatro casos. Do mesmo modo, a polícia registrou aumento do número de violência contra a mulher no mesmo período.