Publicado às 14h40 deste sábado (16)

A deputada estadual pelo PT, Teresa Leitão, analisou críticas internas e de recém desfiliados como o ex-prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque, sobre o Partido dos Trabalhadores servir de “puxadinho” do PSB em Pernambuco. Falando à TV Farol no YouTube, neste sábado, Leitão disse que o partido precisa superar essa visão e pensar de forma “ampliada”.

Por isso, na visão da parlamentar, essa é uma questão que precisa ser melhor “discutida” no âmbito partidário, mas que ela discorda essencialmente. Recentemente, tanto a ex-petista e agora pré-candidata ao governo pelo Solidariedade, Marília Arraes, quanto Luciano Duque, deixaram as fileiras da legenda lulista lamentando a subserviência do PT ao projeto de poder socialista. “Há uma corrente do PT que pensa assim, eu não penso. E não só Luciano [Duque] que pensa assim, algumas pessoas pensam. Mas eu não penso”, afirmou Teresa, justificando:

“Porque uma candidatura própria não é, apenas ela, a afirmação da força de um partido, eu acho que o PT tem sofrido muitos problemas de uma gestão que precisa ser ampliada. Mas o comportamento do PT especificamente nesta eleição de fazer aliança com o PSB é um comportamento necessário, porque da mesma maneira que ganhar a presidência para a gente com Lula é um fato inquestionável e necessário, Pernambuco é o Estado mais importante para o PSB. Nós temos outras alianças com o PSB nos apoiando onde nós somos cabeça de chapa [risos]. Por exemplo, em todos os estados que o PT governa o PSB não lançou candidatura, estamos com o apoio deles para reeleição ou eleição de candidatos indicados pelo PT. Temos problemas, não apenas em Pernambuco, mas todos são ajustáveis e estão sendo discutidos nacionalmente pelo PSB e pelo PT”.

Veja também:   Mãe toca fogo no genro e fica revoltada ao saber que ele não morreu

Teresa Leitão disse que esses “erros” de estratégia do PT são recentes e que as críticas quanto à postura do partido por optar em não ser protagonista vem sendo debatida. “Essa questão de superamos essa visão, que é de Luciano Duque, e de muita gente mais de sermos uma sub-legenda, de sempre darmos vez ao PSB e de não sermos nós os protagonistas, ela vem sendo discutida, mas eu acho que deve ser mais organizada, de maneira estratégica, por exemplo: a eleição do Recife, nós disputamos com o PSB. Nós podíamos ter ganhado essa eleição, seríamos então protagonistas. E isso nos daria fôlego e força para estarmos em outro patamar agora. Esse erros do PT são mais de um passado recente. Quando nós governamos a Prefeitura do Recife e não conseguimos manter por mais de três mandatos. O PSB já vai no quarto mandato no governo do Estado podendo entrar pelo quinto, então são questões de uma estratégia partidária que o PT precisa de debruçar mais. Mas sem sombra de dúvidas, tem crescido também nas Câmaras e Assembleia Legislativa.”

VEJA A ENTREVISTA COM TERESA LEITÃO NESTE SÁBADO (16) NA TV FAROL