Com informações de Cícero Mendes

Cedro-PE e de toda a região se preparam para mais uma Missa do Vaqueiro. Essa será a 28ª edição do evento, que acontecerá neste sábado dia 21 de maio de 2022 às 19h na igreja matriz, onde reunirá vaqueiros, artistas e a população do município e de cidades vizinhas.

Esse ano o encontro durante será realizado na Rua José Arlindo Leite (próximo a residência do Ex-prefeito Neguinho de Zé Arlindo. Os organizadores esperam mais de 400 vaqueiros. Durante os dois anos de pandemia o evento ocorreu de forma remota e com a volta do setor cultural e as suas atividades será celebrado o maior encontro de vaqueiros da região.

A cavalgada com os vaqueiros sairá da Rua José Arlindo Leite às 17h30 em direção à Igreja Matriz e percorrerá as principais ruas da cidade ao som de poetas aboiadores.

DIA MUNICIPAL DO VAQUEIRO

Os vaqueiros de Cedro-PE comemoram o Dia Municipal do Vaqueiro neste próximo dia 21 de maio. Através da Lei Municipal Nº 296 de 11 de Novembro de 2010. O projeto foi elaborado e levado à votação pelo vereador Constantino Inácio Filho (Tanço de Constâncio), em novembro do mesmo ano.

A solicitação veio de um pedido do vaqueiro e poeta Cícero Mendes, que sempre defendeu a figura do vaqueiro cedrense por onde passa. Após a votação, foi enviado para o Executivo, na época representado pelo Prefeito Josenildo Leite Soares (Neguinho de Zé Arlindo).

ORIGEM DA MISSA DO VAQUEIRO EM CEDRO

Em meados de abril do ano 1995, no final do século passado, reuniram se com o Padre Lino, alguns representantes da igreja e alguns poucos vaqueiros para pedir que o mesmo destinasse um dia para o novenário do mês de maio, dedicado ao vaqueiro, sendo assim, foi aceito pelo mesmo.

Veja também:   Carro capota e mãe de sargento morre

Dias depois na casa de Antônio de Messias se reuniram os vaqueiros para combinar a data a ser celebrada a missa, sendo de acordo com o Reverendo e os vaqueiros, a data foi marcada para o dia 15 de maio e o encontro aconteceu na fazenda São Miguel na casa do vaqueiro Zito.

Entre alguns vaqueiros estavam presentes na primeira missa: Zito do são Miguel (organizador), Zé Preto, Antônio Marinho, Lando de Constâncio, Valdenir Carlos, Luiz Antônio do Papa Mel, Assis Romão, Cícero Mendes, Peta Mendes, Zé Alexandre do São Miguel, Bal Romão, Afonso de seu Té, Miúdo de Evangelista, Galego de Afonso, Jesus Manú. Gil Passarim, Guima Norato, Zequinha Norato a senhora Rosimar Rufino e as professoras Kêda, Neilinha, D. Miriam, Alécia Sidrim e algumas crianças.

O evento se tornou grandioso, entrando de vez para o calendário cultural da cidade e movimentando todo o comércio da região, chegando a contabilizar 350 vaqueiros encourados em anos anteriores.