Da CNN Brasil

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deixou de pagar imposto de renda durante 10 anos desde 2000, declarando ter tido dívidas superiores a seus lucros, de acordo com uma reportagem publicada neste domingo (27), pelo New York Times.

De acordo com o jornal, tanto em 2016, ano em que venceu às eleições para a Casa Branca, quanto no primeiro ano na presidência, Trump pagou apenas US$ 750 em impostos.

Ao detalhar as declarações em mais de duas décadas de informações fiscais, a reportagem do NYT descreve grandes perdas financeiras e anos de evasão fiscal que põem em xeque a fama de magnata do mundo financeiro com a qual Trump construiu sua carreira política.

Durante uma entrevista na Casa Branca neste domingo, o presidente negou a reportagem e disse que já pagou “muito” em impostos federais e estaduais.

“Eu pago imposto. Eu pago muito imposto e muitos impostos estaduais inclusive”, disse. O presidente se recusou a dizer quanto pagou em impostos ao ser questionado pela CNN durante a entrevista.

Trump disse que pretende divulgar suas declarações, assim que não estiver mais sob auditoria do IRS, a Receita Federal americana, que segundo ele “o trata mal”. O presidente, no entanto, não é obrigado a manter as declarações sob auditoria em sigilo, apesar de suas insistentes declarações em contrário.

A reportagem do NYT mostra um empresário que estava lutando para manter seus negócios funcionando e relatava milhões de dólares em perdas, mesmo enquanto fazia campanha para presidente e se gabava de seu sucesso financeiro.

De acordo com o jornal, Trump usou os US$ 427,4 milhões que recebeu de “O Aprendiz” para financiar outros negócios, principalmente campos de golfe, e investiu mais do que retirou dinheiro de seus empreendimentos.

Um advogado do presidente disse, em nota, que “a maioria, senão todos os fatos, parecem ser imprecisos” e solicitou os documentos.

O NYT disse que não tornará públicos os dados das declarações de Trump para não prejudicar suas fontes “que assumiram enormes riscos pessoais para ajudar a informa o público”. Os dados obtidos pelo jornal não incluem declarações de 2018 e 2019.