A notícia de que o deputado Sebastião Oliveira (PR) estaria reunindo cinco partidos no último final de semana caiu no meio político local como um “tsunami”. Entretanto, tudo não passou de uma marolinha. O próprio deputado chegou a afirmar que estaria reunido com lideranças do PSD, PSB, PRP, PTN e PP. A estratégia começou a naufragar ainda na sexta-feira (17) quando o radialista Maquinhos Dantas, presidente do PP, descartou qualquer diálogo.

O resultado é que o deputado sequer pisou em Serra Talhada, mesmo após ter anunciado, publicamente, que estaria presente na estreia do Serra Talhada Futebol Clube, no último domingo. Na opinião de alguns governistas, a articulação montada pelo deputado republicano foi uma clara tentativa de desestabilizar o nome do vice-prefeito Luciano Duque, que deve se filiar ao PR no próximo dia 27.

Assessores do deputado passaram os últimos dias fazendo contato telefônico com lideranças comunitárias e cabos eleitorais ligados ao vice-prefeito e ao prefeito Carlos Evandro. “A gente perguntava se o prefeito estaria presente e a resposta era negativa. Então, o que íamos fazer nesta reunião”, relatou um dos convidados, que se declara liderado por Carlos Evandro.

Pelo menos duas lideranças importantes receberam o convite de Sebastião, mas foram fiéis a Carlos Evandro. O ex-vereador Gerôncio Gomes e o vereador Ronaldo de Dja. Trocando em miúdos, ficou claro que a reunião não ocorreu por falta de quórum. Ainda no sábado (18) foi divulgada a notícia de que a reunião iria ocorrer no domingo (19). Por conta deste “tumulto” inesperado, o prefeito Carlos Evandro vai oficializar, junto ao deputado Inocêncio Oliveira, no próximo dia 25, o seu apoio irrestrito e incondicional ao vice-prefeito Luciano Duque.

Veja também:   Duque critica Câmara por obras sem fim em ST