Do Diario de Pernambuco

Com uma baixa procura das vacinas pelo público infanto-juvenil, o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, se mostrou preocupado com a evasão diante do cenário de pandemia que ainda estamos vivendo. De acordo com o secretário em coletiva realizada nesta quinta-feira (14), o cenário epidemiológico da Covid-19 no Estado está em estabilidade, mantendo os indicadores em patamares baixos.

“Na Semana Epidemiológica (SE) 40, encerrada no sábado, registramos 454 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), 28 a mais que a SE 39, mas 36 casos a menos que a semana 38; houve queda no intervalo de 15 dias. Também foi registrado pela Central Estadual de Regulação Hospitalar 246 pedidos na SE 40, praticamente o mesmo número da semana 39, com 247 pedidos, e 25 a menos que o registrado 15 dias antes, na semana 38”, disse.

Longo alertou que os dados positivos não são um sinal de que a pandemia acabou. “Os sinais podem dar uma falsa sensação de que superamos a pandemia. O vírus continua circulando entre nós e ainda é o momento de manter o cuidado. Novos avanços e flexibilizações estão atrelados à adesão da sociedade no processo de vacinação. Só poderemos retornar integralmente às atividades quando a grande maioria da população estiver com o ciclo vacinal completo com as duas doses, e a dose reforço no caso de pessoas mais vulneráveis”, atentou.

Diante do negacionismo do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) com a vacina e a afirmação de que não vai se imunizar, André Longo pediu que a população “não acredite no negacionismo”. “Não caiam em fake news. Além de extremamente seguras, as vacinas estão provando a sua importância e efetividade na prática, com os indicadores que mostramos, sendo peças chaves para que continuemos adiante para que possamos superar a pandemia”, destacou.

Pré-cadastro do público infantil

Ainda na coletiva, o secretário de Saúde afirmou que algumas Prefeituras já abriram o pré-cadastro para crianças a partir dos 3 anos de idade para conhecer melhor o público, mas que ainda não há liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária(Anvisa). “Para vacinação de pessoas com menos de 12 anos precisamos aguardar. Já têm estudos publicados, sabemos que Países do mundo, inclusive América Latina já iniciaram essa vacinação com as vacinas de plataforma de vírus inativado, como a CoronaVac, mas ainda não há liberação. Temos estudos com a Pfizer para o público, mas precisamos aguardar”, informou.

André Longo também chamou atenção para o cumprimento da meta da cobertura vacinal em Pernambuco. “O foco que as pessoas precisam ter é ampliar a cobertura vacinal. Precisamos fundamentalmente que toda a sociedade possa se engajar nesse grande esforço todos os dias, precisamos pensar em avançar com o cumprimento das metas”.

Templos religiosos

Questionado se o Estado teria voltado atrás com o decreto do Governo que exige comprovante de vacinação em igrejas e templos religiosos com mais de 300 pessoas, Longo pontuou que o Decreto continua em vigor. “E vale para todas as situações acima de 300 pessoas. Não há nenhum recuo por parte do Governo, o que temos é que podemos fazer novos avanços a partir de novembro mas, neste momento, não há nenhuma previsão de alteração nessa situação de exigência do passaporte vacinal”.