Da ISTOÉ

Ex-conselheiro de Trump e ideólogo da nova direita americana é acusado de ter conhecimento prévio sobre a invasão ao Capitólio e insuflar turba de extremistas a tentar impedir certificação da vitória eleitoral de Biden.Steve Bannon, ex-estrategista-chefe de Donald Trump, se entregou nesta segunda-feira (15/11) às autoridades americanas após ter sua prisão decretada. Ele responde a duas acusações de desacato, após se recusar a colaborar com uma investigação sobre a invasão do Capitólio – a sede do Congresso americano – no dia 6 de janeiro.

Bannon, principal estrategista da campanha vitoriosa de Trump em 2016 e um dos ícones da nova direita nos Estados Unidos, aproveitou a ocasião para chamar a atenção de seus apoiadores, promover seu site War Room, e lançar novos ataques ao atual presidente do país.

“Isso é só barulho”, afirmou aos jornalistas, ao chegar cercado de seguranças ao escritório do FBI. “Quero que vocês se mantenham focados nesta mensagem. Vamos derrubar o regime de Joe Biden.”

Na última sexta-feira, um júri indiciou Bannon, de 67 anos, por se recusar a testemunhar ou fornecer documentos ao comitê da Câmara dos Representantes que investiga o violento ataque ao Capitólio, em Washington. A pena para cada uma das duas acusações de desacato varia de um mês a um ano de prisão.