Do Diario de Pernambuco

Foto: Tobias Schwarz / AFP

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou nesta terça-feira que a população entre 3 e 18 anos começará a ser vacinada contra a Covid-19, para acelerar o sistema de imunização, que, até agora, cobre menos de 12% da população.

“A partir de outubro, iremos vacinar a população infanto-juvenil, teremos vacinas para todas as crianças e adolescentes, vacinas já testadas e comprovadas. Em outubro retomaremos as aulas presenciais”, destacou em um ato político transmitido pela TV pública.

O governo não fornece dados sobre a vacinação regularmente. Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), 3,3 milhões de pessoas (11,62%) receberam as duas doses das vacinas aplicadas no país: Sputnik-V e Sinopharm. Quase 6 milhões tomaram a primeira dose.

O plano de vacinação foi inicialmente criticado por seu desenvolvimento lento. No entanto, o governo tem buscado massificá-lo e estabeleceu a meta de 70% da população, o equivalente a 22 milhões de pessoas, com o esquema completo até outubro. “Estávamos vacinando 100 mil cidadãos por dia e agora aplicaremos 300 mil doses por dia”, disse o presidente.

A vacinação na Venezuela tem sido realizada por meio de convocações por mensagens de texto. A vice-presidente, Delcy Rodríguez, informou que as pessoas com mais de 60 anos que ainda não foram vacinadas podem comparecer a qualquer posto sem a necessidade de agendamento.

Dúvidas persistem entre os maiores de 60 anos que receberam a primeira dose da Sputnik V e aguardam há meses a aplicação da segunda dose. O governo não se pronunciou sobre o assunto.

Segundo dados oficiais, foram registradas até ontem na Venezuela 334.343 infecções por Covid e 4.019 mortes, números questionados por sindicatos de saúde e organizações internacionais, os quais consideram que existe uma subnotificação.