Vereador: R$ 900 mil não podem ficar com 2 empresários

Foto: Farol de Notícias/Celso Garcia

Publicado às 10h15 desta quarta-feira (15)

Se tem algo que não pode ser imputado ao vereador André Maio, é ser omisso sobre a destinação de uma verba pública, oriunda do governo federal, que deve ser distribuída para os empresário do transporte coletivo de Serra Talhada. O dinheiro serve como uma espécie de indenização em função dos dois anos de pandemia. Na terça-feira passada, Maio usou a tribuna da Casa Joaquim de Souza Melo, alertando que se não houver senso de justiça, apenas dois empresários de ônibus irão abocanhar tudo em demérito dos pequenos proprietários.

Veja também:   Secretário diz que obra embargada em Serra Talhada ainda não recolheu impostos ao município

“O município de Serra Talhada iria distribuir somente entre duas empresas esse valor. Uma empresa chegaria a ficar com R$ 600 mil, e outra com quase 200 mil reais. Eu busquei informações no Sindicato dos Transportes Alternativos do estado de Pernambuco e em outras cidades, e estão dividindo para todos os transportes alternativos. Ou seja, o camarada que tem lotação de Água Branca, Bernardo Vieira, Santa Rita, Caiçarinha, todos têm direito”, disse André Maio, arrematando

“Solicitei da prefeita Márcia Conrado que não destine esses valores, quase 900 mil reais somente para essas duas empresas. Que ela faça igual as outras cidades têm feito. Que ela distribua esse valor de igual para todos os transportes alternativos aqui de Serra Talhada. O projeto de lei dá direito a todos os transportes, não somente a essas duas empresas que operam dentro de Serra Talhada, inclusive com um serviço de má qualidade. Eu fiz um apelo à prefeita Márcia Conrado que não pague, porque se acontecer de pagar esses valores o Sindicato vai entrar na justiça e vai ter que ressarcir esse dinheiro e pagar como deve.”.

Veja também:   Criança de 7 anos fere padrasto com facadas ao ver mãe ser agredida

Ainda durante o discurso, o parlamentar da base governista fez questão de enfatizar que muita gente da zona rural, que trabalha sol a sol, precisa do beneficio.

“De fato, essas lotações que fazem os distritos, que gastam, que andam em estradas precárias, que andam numa situação mais difícil não têm direito a nada. Eu solicitei da prefeita Márcia Conrado, esse dinheiro já está na conta da prefeitura, que ela não pague esse valor somente a essas duas empresas. Solicitei que ela pague proporcionalmente aos transportes alternativos aqui do município de Serra Talhada”, finalizou

Veja também:   Milhares de pessoas protestam contra 'Dia sem Latinos' em cidade dos Estados Unidos