Vereadores são alvos de operação da PCPE

Foto: Divulgação/Polícia Civil de Pernambuco

Por Folha de Pernambuco

Quatro vereadores de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, são alvos da Operação Secundus, deflagrada nesta sexta-feira (20) pela Polícia Civil. Ao todo, oito mandados de busca e apreensão foram expedidos, sendo quatro deles contra parlamentares e outros contra servidores.

Os alvos são os vereadores Bruno Lambreta (PSDB), Leonardo Chaves (PSDB), Kátia da Rendeiras (Republicanos) e Galego de Lajes (MDB), de acordo com informações da Rádio Liberdade de Caruaru. Lambreta, inclusive, é o presidente da Câmara dos Vereadores.

Veja também:   GSI diz que investiga agentes que aparecem escoltando golpistas em 8/1

Os vereadores são investigados por suspeita de integrar uma associação criminosa voltada à prática do crime de falsidade ideológica.

Os mandados de busca e apreensão foram expedidos pelo Juízo da Segunda Vara Criminal da Comarca de Caruaru. As investigações em torno da associação criminosa tiveram início em março deste ano.

Mandados foram cumpridos, nesta sexta-feira, na sede da Câmara dos Vereadores. Os policiais que trabalharam na execução da operação recolheram materiais para subsidiar as investigações que seguem.

Veja também:   Leitores denunciam abandono de praça em bairro de ST

A operação foi presidida pelo delegado Jeová Miguel, titular da 3ª Delegacia de Polícia de Combate à Corrupção, e contou com 50 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães.

Outros detalhes da operação serão repassados pela Polícia Civil em entrevista coletiva de imprensa na próxima segunda-feira (23).

O que diz a Câmara
Por meio de nota, a Câmara de Vereadores de Caruaru confirmou que mandados foram cumpridos nas dependências do prédio.

“Destacamos que os servidores e parlamentares desta Casa Legislativa atuaram de forma colaborativa e transparente junto às autoridades envolvidas”, explica.

Veja também:   PMs presos são pegos com droga em celas

“Reiteramos nosso compromisso com a integridade, a transparência e com o bem-estar da população de Caruaru. Permanecemos à disposição das autoridades para quaisquer esclarecimentos adicionais”, completa o comunicado da Câmara.