Você é uma pessoa que perdoa com facilidade? Faça o teste
Formatos reconhecidos em desenho testam a habilidade de perdoar dos usuários de redes sociais – Foto: Reprodução

Da Folha de PE

Um novo teste visual busca analisar seu comportamento e revelar se você é uma pessoa que perdoa facilmente ou não.

Em poucos passos, o usuário deve completar um exercício em que uma imagem é apresentada na sua tela e ele precisa identificar qual é a primeira coisa que observou nela.

Sem limite de tempo, o teste de personalidade procura exercitar a determinação de cada pessoa em escolher entre duas opções e, assim, conhecer mais sobre si próprio.

Veja também:   Flores realiza 1ª reunião sobre saúde mental

Na imagem apresentada acima, os dois braços que se cruzam têm a particularidade de terem diversas notas musicais em sua formação, o que gera um efeito confuso que pode condicionar a decisão e gerar um mar de dúvidas em quem deve escolher o que mais se destaca.

Após realizar esse exercício visual e saber se você está preparado para perdoar outra pessoa por uma atitude que possa ter te prejudicado, os criadores desse conteúdo estabeleceram uma diretriz que estimula o compartilhamento dos resultados nas redes sociais em perfis públicos, assim cada usuário contribui para a viralização da imagem.

Veja também:   Flores é destaque em conferência estadual

O que cada variável significa

Se você escolheu a opção das mãos: você é uma pessoa que não aguenta ficar parado, precisa estar ao ar livre e odeia estar na sua zona de conforto. É possível que você encare seus dias como se não houvesse amanhã e saiba perdoar com facilidade, não guardando nenhum tipo de rancor.

Se você escolheu a opção de notas musicais: você acredita em relacionamentos amorosos para a vida toda e é extremamente fiel em todos os seus relacionamentos. Seu comportamento inspira confiança, respeito, segurança e gera muita conexão com seu círculo íntimo. Dessa forma, perdoar não está nos seus planos e isso faz de você uma pessoa com muitos princípios morais.

Veja também:   Janeiro Branco: Profissionais analisam mal do século em ST