waldemarFoto: Alejandro García/arquivo Farol

“É impossível saber o nome de todas as ruas de Serra Talhada. Nem se eu fosse prefeito daqui por umas dez vezes”. A frase define o tom indignado como o pretenso candidato à prefeito de Serra Talhada, em 2016, Waldemar Oliveira (PR), vem encarando a pecha de forasteiro. A mancha vem sendo atribuída, especialmente, vinda de integrantes do governo Luciano Duque (PT).

Em conversa com a rádio Cultura FM, nesta sexta-feira (6), “Dema”, como é popularmente conhecido, discordou das pessoas que estão tentando provocar polêmica com relação a sua origem. O advogado disse estar preparado para este tipo de crítica, que só tende a crescer nos próximos meses. “Mas não aceito”, cravou, argumentando que é de Serra Talhada e conhece a cidade.

Veja também:   Waldemar e Zé Pretinho participam de inauguração

“Conheço todos os bairros, todos os distritos e pretendo visitá-los mais vezes, escutar o povo, sobre a falta de calçamento, de saúde, saneamento, escola… Minha família é daqui, por parte de mãe é Andrada, uma das fundadoras daqui de Serra, por parte de pai é Inácio, de Santa Rita, uma família fundadora de Serra também. Eu cresci entre Serra Talhada e Recife, tive a oportunidade de estudar lá, mas nunca abandonei Serra Talhada, todo mês estou aqui. Vou manter minha vida profissional entre Recife e Serra e, em breve, pretendo reduzir isso a toda semana”, disse Waldemar.

Veja também:   'Não vai faltar candidato contra Márcia', diz Waldemar Oliveira