Publicado às 14h20 desta sexta (15)

Otimista para a realização do segundo concurso público aberto em seu governo, o prefeito Luciano Duque (PT) revelou que o novo certame que está sendo preparado até o final do ano terá novidades.

Dentre elas, a ampliação do prazo de convocação de candidatos em até 4 anos. A declaração do gestor foi registrada no programa Frequência Democrática, na rádio Vila Bela FM, nesta sexta-feira (15).

“Nós estamos fechando o levantamento em todas as secretarias. Esse concurso vai ser diferente, porque eu quero fazer com uma validade de dois anos, prorrogável por mais dois. Ou seja, pra 4 anos e o próximo gestor vai ter gente pra chamar ainda durante 4 anos, claro que de acordo com a necessidade. E com certeza nós vamos ter concurso pra todas as áreas esse ano ainda”, disse.

O prefeito se posicionou também sobre a cobrança do Ministério Público, que recomendou a abertura urgente de concurso nos quadros da prefeitura [veja aqui] diante seguidos testes seletivos temporários. Duque alegou que a prefeitura já cedeu mais de 100 funcionários para atuar seja nos quadros do próprio MPPE, seja nos vários tribunais que funcionam no município. E que isso faz com que o governo fique desfalcado.

Ele também justificou que muita gente que passou no último concurso, aberto em 2013, acabou pedindo exoneração. Somado a tudo isso, Luciano alegou que o governo mantém projetos temporários de auxílio ao desenvolvimento social financiados por instituições privadas em alguns bairros da cidade, o que requer a abertura de editais temporários.

“Nós tivemos muitas exonerações nesse período porque de quinhetos e pouco convocados, hoje nós temos 425. Ou seja, o cidadão vem de outra cidade, passa no concurso e passa em outro lugar e aí vai embora… São os concurseiros. Então não se pode definir e criar vagas para o povo de Serra Talhada porque passa gente de todo o lugar. Então, essa é uma de nossas dificuldades, na manutenção do quadro efetivo, porque o cidadão passa, mas pede demissão. E por isso que precisa de mais testes seletivos pra poder contratar”, ponderou o gestor, reforçando:

“Estamos conversando com algumas instituições, ou com a Fadurpe ou a mesma instituição do concurso passado, que foi com o pessoal da UPE que já nos procurou. E dentre em breve, se não conseguirmos realizar esse concurso até o final deste ano, será no início do ano que vem, porque eu gostaria de estar a partir de fevereiro nomeando, principalmente, na área de educação, fiscais de tributo, fiscais ambientais, na área de obras, guardas de trânsito, guardas municipais… Há uma defasagem enorme.”

.

Compartilhe isto: