O professor de matemática José Carlos Gomes da Silva, 58 anos, foi preso na tarde desta quarta-feira (23) em Serra Talhada, acusado de abusar sexualmente das próprias alunas. Elas tiraram fotos de celular no momento em que o docente mostrava o órgão sexual dentro da sala de aula, por debaixo do birô. As imagens foram levadas até à diretora, que acionou a polícia. Como possui curso superior, o professor está preso numa cela separada dos outros detentos na cadeia de Serra Talhada.

Segundo a polícia, José Carlos vai responder pela acusação de estupro de vulnerável. No depoimento, as alunas, com média de até 12 anos, disseram que o docente além de mostrar o órgão sexual, chegou a acariciar, em outras ocasiões, os seios das estudantes dentro da sala. “Um simples toque, desde que seja com intenção sexual, caracteriza estupro de vulnerável. Elas relataram que o professor chegou a acariciar seus seios na sala de aula e a lei, hoje, é muito severa neste sentido”, esclareceu o delegado Antônio Júnior, justificando a prisão.

O inquérito está previsto para ser finalizado em 30 dias. Depois disso, pode ser expedida a prisão preventiva de José Carlos, que deve continuar detido, pelo menos, até a conclusão das investigações. Por enquanto, foi dada prisão temporária ao docente. Durante revista na residência do acusado, autorizada pela Justiça, foram encontrados computadores, cartões de memória e aparelhos celulares com filmes pornográficos de conteúdo hétero, homossexual e de sexo com animais. O material será submetido à perícia pelo Instituto de Criminalística.

“Também foi encontrado na bolsa do professor um gel lubrificante que ele apresentava às menores, alegando que facilitava as relações sexuais”, relatou o delegado Antônio Júnior. O crime revoltou a comunidade escolar e os pais das garotas vítimas dos abusos. As investigações correm em segredo de justiça por envolver menores. O professor é casado e tem dois filhos.

Outro caso

Na última sexta-feira, um estudante de 18 anos foi preso acusado de estuprar a própria irmã, de 12 anos, no bairro da Borborema. A criança sofria abuso também do pai e de um suposto namorado, de 18. Para piorar, a prática de abuso era estimulada pela madrasta da menina, de apenas 15 anos, que vai responder procedimento especial de menor infrator. Os três, pai, filho e “namorado” estão presos na cadeia de Serra Talhada.

Leia Mais:

CRIME: Polícia prende acusado de estuprar irmã de 12 anos em ST

Compartilhe isto: